Cultura

Cine Passeio exibe obra esquecida de Tiomkim

Pinterest LinkedIn Tumblr

A Mostra faz parte da programação da 13a edição do Festival da Lapa.  Os curtas foram produzidos há 30 anos atrás e revelados pela primeira vez em formato digital.

Mostra de curtas-metragens premiados realizados pelo diretor e produtor audiovisual Tiomkim, um dos pioneiros nas áreas do cinema experimental e da vídeoarte no Paraná. Vão ser exibidos pela primeira vez em quase três décadas trabalhos do inicio de sua carreira, produzidos na bitola VHS e restaurados em formato digital. A mostra faz parte da 13a. Edição do Festival da Lapa que acontece de 03 a 06 de dezembro de 2020 na cidade da Lapa PR.

Serviço:

Mostra Resgate de Tiomkim

13a Festival da Lapa

De 03 a 09 de dezembro

Local: Cine Passeio

www.cinepasseio.org

 

Eliane Karas em “Cinemascorpos”

Programação:

“A DESILUSÃO EM VHS – O CINEMA EXPERIMENTAL DE TIOMKIM”
Produção e direção: Tiomkim
Restauração digital: Matheus de La Palm.
Classificação indicativa: 14 anos

1. CINEMASCORPOS (1989) (12’min)

Performances com atores e não atores em espaços alternativos de Curitiba. Co-direção de Antonio D’Alves. Com Claudia Singer, Sonia Chagas, Robert Ianke, Luiz Augusto Loureiro, Pierre Cabral, Fabio Guimarães , Eliane Karas, Tatiana Rodrigues e Gesner Oliveira.

* Menção Honrosa no Festival VideoBrasil (1989/SP)

2. IMAGENS EM FUGA (1990) (14’ min)

Colagem de imagens produzidas em VHS e inspiradas pelos filmes de Jonas Mekas.

 

Silvio Kaviski em “Cenas de um Sonho Selvagem”

3. CENAS DE UM SONHO SELVAGEM (1991) (3’ min)

Homenagem ao cineasta Kenneth Anger.
Com Silvio Kaviski.

Prêmio de Melhor Edição no Festival de Video de Vitória (ES) (1991).
Prêmio de Melhor Videoarte no Salão Curitiba VII (1991).

Sobre a Mostra nas palavras de Tiomkim:

Com o surgimento do video doméstico VHS nos anos 80 começei a produzir exercícios audiovisuais com uma câmera VHS emprestada do jornalista Aramis Millarch. Ainda era um equipamento super caro, mas resolvia. Enquanto produzir em película também era caro, o vídeo apesar da qualidade inferior de imagem, dava para se criar alguns trabalhos experimentais. Eu seguia os passos de meus idolos do cinema experimental, como Maya Deren, Norman Mc Laren, Kenneth Anger e Jonas Mekas. E eu ainda tinha um manual que me acompanhava que era o livro “Uma Introdução ao Cinema Underground”, de Sheldon Renan. Meu maior prazer era sair nas ruas de Curitiba e convencer os amigos (atores e não atores) a posarem para a câmera VHS. Personalidades do meio cultural chegaram a participar dos exercícios audiovisuais como Regina Vogue, Mozart Machado, Claudia Singer, Claudia da Natividade, Edilson Viriato, Eliane Karas, Rita Pavão, entre outras.

Comentários estão fechados.