Author

Tiom

Browsing

Além de suas famosas pizzas, o empreendimento agora conta com opções saborosas de calzones, entre elas uma “monte como quiser”

 

 No iníco de 2020, a cidade de Curitiba ganhou um endereço inspirado nos principais conceitos do modo napolitano de fazer pizza: a Pizzaria da Mathilda, comandada pelo empresário Daniel Mocellin. Agora, sete meses após a inauguração e consolidada na cidade, a casa acaba de lançar seu cardápio de calzones, com três sabores de recheios prontos e uma opção de “monte como quiser”, disponível nas quartas e quintas.

 

Assim como as já conhecidas – e amadas – pizzas do empreendimento, todas as receitas do novo cardápio foram desenvolvidas por Daniel Mocellin, que entrou de cabeça no processo de produção artesanal de massas. Eu sempre fui apaixonado por preparos típicos italianos, então expandir o cardápio foi como realizar um grande sonho”, conta Daniel. “Após muitos teste e estudos, vamos oferecer aos curitibanos um calzone incrível, que segue a tradição napolitana, produzido com farinha italiana 00 do Mulino Caputo, que é um dos produtores mais antigos e tradicionais de Nápoles”, complementa ele.

 

Com um cardápio exclusivo e enxuto, a Pizzaria da Mathilda oferece três sabores de calzones: “Marguerita”, com mozzarella, mozzarella de búfala, tomate cereja, manejricão, azeite e orégano; “Calabresa”, com mozzarella, calabresa fatiada, cebola roxa, mel e orégano; e “Pepperoni”, com mozzarella, pepperoni, cebola roxa e orégano. Além disso, o empreendimento disponibiliza a opção “Monte como quiser”, na qual o cliente pode escolher até cinco recheios para incrementar o calzone. Os preparos são individuais e têm o valor único de R$ 38,90.

 

Os calzones podem ser adquiridos nas quartas e quintas para consumo na pizzaria ou com retirada no balcão (take away) e entrega via delivery (aplicativo próprio, James e Rappi). Para harmonizar com os preparos, a Pizzaria da Mathilda oferece cervejas especiais, soft drinks, coquetéis e vinhos, que podem ser adquiridos em taças ou garrafas. “Seja para uma pizza ou um calzone, o que importa é a satisfação do público curitibano, celebra Daniel.

 

A Pizzaria da Mathilda fica na Avenida Vicente Machado (nº 859), no Centro de Curitiba, e funciona diariamente, das 18h30 às 23h. Mais informações na página oficial do empreendimento no Facebook (www.facebook.com/pizzariadamathilda), no perfil do Instagram (@pizzariadamathilda) ou pelo telefone (41) 3018-7878.

foto maringas maciel

“Eventos testes foram colocados em pauta e devem ser realizados na segunda quinzena de outubro”

Representantes da Associação Brasileira dos Promotores de Eventos – ABRAPE, Mac Lovio Solek, vice-presidente da região Sul, Associação Brasileira de Empresas de Eventos – ABEOC PR, Fábio Skraba, Passeata Técnica CWB, Fabiano Wolochyn e Sandriane Fantinato foram recebidos na última sexta (18.09) na secretaria do governo na Prefeitura de Curitiba pelo Secretário de Governo, Luiz Fernando Jamur, pela Superintendente Executiva da Secretaria Municipal de Saúde, Beatriz Battistella Nadas, pelo vereador Pier Petruzziello, pela presidente do Instituto Municipal de Turismo, Tatiana Turra, e pela presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Ana Claudia de Castro,  para discutir a retomada urgente do setor de eventos na cidade.

Durante a reunião, foi discutido a defesa de paliativos claros para que a subsistência do setor seja garantida até que os eventos possam retornar de forma ampla, como o auxílio emergencial e Lei Aldir Blanc; Os editais de linha de crédito voltada para o setor que necessitam ter uma divulgação ampla para atender todas as categorias, pois existe uma grande variedade e quantidade de profissionais inseridos nesse segmento. ‘’Os recursos federais e municipais são muito importantes nesse momento, para ajudar as empresas, principalmente, a garantir empregos aos colaboradores, como também ajudar aos profissionais de eventos e músicos, mas infelizmente muito pouca gente se beneficia de recursos anunciados que dificilmente chegam na ponta. Nesse momento se os governos nos deixassem trabalhar, empresas e profissionais, poderíamos de forma mais direta e efetiva minimizar um pouco a crise do setor que está em frangalhos”, fala Mac Lovio Solek, vice- presidente da Abrape na região Sul.

Também foi apresentado pela Abrape, um protocolo com as sugestões para a realização dos mais diversos tipos de eventos e de forma responsável e segura. Na conversa, foi abordado também o descaso de uma parte da população no consumo de serviços e produtos em alguns ramos de atividades, onde não são tomados os cuidados devidos pelos empresários, pelos consumidores e também não são fiscalizados de forma adequada pelos governos, o que colabora para esse retorno dos eventos ser ainda mais moroso. “Cada vez mais somos jogados para longe do nosso retorno. A desculpa são índices ruins impulsionados pelo descaso de órgãos públicos, empresários e consumidores irresponsáveis, comenta Mac.

Assim como está acontecendo em algumas cidades, foi colocado em pauta ao final da reunião a realização de dois eventos testes  na capital paranaense, com protocolos específicos, que devem ser realizados a partir da segunda quinzena do mês de outubro, que serão validados pelos gestores das secretarias que tratam diretamente do tema. A ideia é que um deles seja uma feira de negócios, e o outro será um show musical, pioneiro no Brasil.“A partir da próxima semana, afinaremos isso, prevalecendo a excelência do modelo, que prima a saúde e integridade dos participantes e profissionais envolvidos na realização, com o objetivo de vislumbrar como seria uma possível retomada do setor diante de protocolos, normas, muito controle e seriedade”, finaliza Mac Lovio Solek.

– Os números do impacto da pandemia no mercado nacional de shows

Com a recomendação de distanciamento social para combater a disseminação do novo coronavírus, o setor de eventos tem enfrentado estagnação, que pode trazer o pior ano em duas décadas. Empresários e representantes do setor ainda não conseguem estimar o prejuízo causado pela crise, mas o primeiro semestre foi morto. Levantamento indica que, desde o início da pandemia todos os eventos no país foram cancelados neste ano, com prejuízo. Ninguém duvida que a epidemia de coronavírus já causou prejuízos gigantescos nos shows e eventos do Brasil. Agora, seis meses depois do início das medidas de distanciamento social no país, surgem os dados concretos deste impacto. E eles são impressionantes.

Um censo realizado pela Abrape (Associação Brasileira de Promotores de Eventos), mostra que mais de 90% dos eventos previstos para ocorrer este ano foram cancelados, adiados ou estão em situação incerta. Outro dado assustador, também divulgado pela entidade, que reúne entre seus associados cerca de 60% do PIB de eventos do país, é o de que até o fim de abril, segundo o estudo, os cancelamentos e adiamentos de eventos fizeram com que mais de 240 mil pessoas perdessem os empregos. A tendência é que esse número possa chegar, em outubro, a 840 mil.

Outro dado relevante que a pesquisa apontou é que 92% das empresas associadas já relataram prejuízos que, juntos, somam R$ 290 milhões. A entidade estima ainda que esse número possa chegar à casa dos bilhões se somada toda a cadeia produtiva do setor de eventos, que envolve em torno de 60 mil empresas. O prejuízo frustrou as boas expectativas desse mercado para 2020, que estimava um aumento de receitas em shows e eventos de 6,15% em relação ao ano passado. Até outubro mais de 450 mil eventos deixarão de acontecer.

EXPECTATIVA 2020 (aumento da receita em shows)
+ 6,15% em relação a 2019
REALIDADE
+ de 90% dos eventos previstos foram cancelados, adiados ou situação incerta

+ de 450 mil eventos deixarão de acontecer até outubro
Estimativa Desemprego no setor
ABRIL 240 mil pessoas
AGOSTO 563 mil pessoas
OUTUBRO 841 mil pessoas

Esta é Ana Schurmann, natural aqui de Floripa, mora na Itália, modelo desde os 15 anos e capa de dezenas de revistas internacionais de moda!
O Instagram dela é @ana.schurmann

A rádio inglesa BBC Music tocou a música “Tell Me” da modelo internacional, cantora e compositora catarinense Ana Schurmann, que é filha da nossa querida amiga Marusa Schurmann Curi.
Talento e beleza de Floripa para o mundo!!!
Sintonizem na 96,1 FM em Hampshire & IOW, na 103,8 FM em Dorset, em digital e freeview ou online no site da BBC. @bbc @bbcradio1 @bbcintrosolent #GRATEFUL.

 

Exercícios e posturas para fazer em casa

Durante o período de quarentena que foi decretado para conter a propagação da Covid-19, a grande maioria da população está em casa, saindo apenas para necessidades básicas, como ir ao mercado ou ao médico.

“Se cuidar para ficar a salvo do vírus é ótimo, porém, ficar em casa sem cuidar do corpo é perigoso. Ficar sentado ou deitado o tempo todo, assistindo televisão ou mexendo no celular, por exemplo, pode prejudicar a musculatura”, conta Daniel Carvalho, ortopedista esportivo.

Ter um tempo para descansar é ótimo, mas, para não trazer malefícios ao corpo, como má postura ou dores nas articulações por ficar muito tempo parado, é preciso levantar e esticar o corpo uma vez a cada hora.

Para quem já faz atividade física, o ideal é tentar manter a rotina da forma mais próxima possível em casa, usando os recursos que já tem. Caminhar ou correr no quintal são opções para não perder o bom condicionamento.

Alongamento e atividades como dança e yoga podem manter o corpo aquecido mesmo em casa, pois não exigem influências externas ou grandes espaços para praticar.

“Flexão, mergulho no banco, agachamento e pular corda são ótimos exercícios para quem não está acostumado a praticá-los. Não são difíceis e vão te ajudar a continuar saudável”, aconselha Daniel.

Não deixe a saúde física de lado apenas por estar em casa, afinal, é preciso se preocupar com a saúde em todos os âmbitos!

Serviço: Dr. Daniel Carvalho

Ortopedia do Esporte

(41) 30266959 e WhatsApp (41) 97020013

@drdanielcarvalhoesporte

www.ortopediadoesporte.com.br

Endereço: Av. Sete de Setembro, 6496 – Seminário, Curitiba, PR.

foto Rob-Youngson_20th-Century-Studios..

Os diamantes e joias da Tiffany estrelam no novo filme de Kenneth Branagh, nos cinemas, em 23 de outubro

 

Clique aqui para assistir ao trailer de “Morte no Nilo”

O incomparável Diamante Tiffany de 128 quilates, que ficou famoso por Audrey Hepburn e usado pela última vez por Lady Gaga, aparecerá no novo longa de mistério do 20th Century Studios, “Death on the Nile”, baseado no romance de 1937 de Agatha Christie. Uma recriação de O diamante Tiffany é destaque no centro da história, ao lado de outros designs da Tiffany usados ​​ao longo do filme. “Death on the Nile” é estrelado por Tom Bateman, Annette Bening, Kenneth Branagh, Russel Brand, Ali Fazal, Dawn French, Gal Gadot, Armie Hamer, Rose Leslie, Emma Mackey, Sophie Okonedo, Jennifer Saunders e Letitia Wright.

 

“O diamante Tiffany é um símbolo inestimável dos mais altos padrões de artesanato na Tiffany, e raramente aparece fora de seu cofre”, disse o diretor artístico da Tiffany, Reed Krakoff. “Um papel central na adaptação do romance clássico de Agatha Christie é merecedor de nosso diamante inestimável.” O diamante Tiffany, um diamante amarelo raro, foi descoberto em 1877 como um diamante bruto de 287,42 quilates das minas Kimberley da África do Sul e adquirido por Charles Lewis Tiffany. Em 1878, o diamante bruto foi lapidado em Paris em um formato de almofada brilhante de 128,54 quilates com 82 facetas sem precedentes, revelando o extraordinário fogo e a beleza dessa pedra.

Em outubro, a Tiffany & Co. promoverá o filme nas lojas e em todas as suas plataformas digitais, destacando os diamantes amarelos radiantes da Tiffany e as coleções excepcionais vistas na tela. As lojas selecionadas da Tiffany apresentarão uma curadoria “Death on the Nile” de joias Tiffany com uso intensivo de diamantes refletindo a aparência do filme, incluindo peças de joalheria requintadas e únicas, designs da Tiffany & Co. Victoria e Schlumberger®. Além disso, as vitrines que capturam o espírito do mistério emocionante de Christie e as joias do filme serão apresentadas na Tiffany Flagship Next Door em Nova York, na butique de Beverly Hills em Los Angeles e na Old Bond Street em Londres.

Em “Morte no Nilo”, as férias do detetive belga Hercule Poirot no Egito a bordo de um navio fluvial glamoroso se transformam em uma busca assustadora por um assassino quando a lua de mel de um casal perfeito é tragicamente interrompida. Situado em uma paisagem épica de vistas panorâmicas do deserto e as majestosas pirâmides de Gizé, este conto de paixão desenfreada e ciúme incapacitante apresenta um grupo de viajantes impecavelmente vestidos, o deslumbrante Diamante Tiffany, e reviravoltas para deixar o público na dúvida até o final.

Saiba mais sobre o diamante Tiffany e os designs de joias icônicas da Tiffany em Tiffany.com.

No Sul, a Tiffany & Co. está localizada no Pátio Batel, em Curitiba, Paraná.

Sobre a Tiffany & Co.

Em 1837, Charles Lewis Tiffany fundou sua empresa em Nova York, onde sua loja logo foi aclamada como o palácio das joias por suas pedras preciosas excepcionais. Desde então, a TIFFANY & CO. Tornou-se sinônimo de elegância, design inovador, artesanato fino e excelência criativa. Durante o século XX, sua fama prosperou em todo o mundo com expansão da rede de lojas e relevância cultural contínua, como exemplificado pelo filme Breakfast at Tiffany’s de Truman Capote e pelo filme estrelado por Audrey Hepburn.

Hoje, com mais de 14.000 funcionários, a TIFFANY & CO. E suas subsidiárias projetam, fabricam e comercializam joias, relógios e acessórios de luxo – incluindo mais de 5.000 artesãos qualificados que cortam diamantes e joias artesanais na empresa, cumprindo seu compromisso com a qualidade superlativa.

A Companhia opera mais de 300 lojas de varejo TIFFANY & CO. Em todo o mundo como parte de sua abordagem multicanal. Para saber mais sobre a TIFFANY & CO., bem como seu compromisso com a sustentabilidade, visite tiffany.com.

O isolamento social e a insegurança pelo futuro têm causado diversos reflexos relacionados à saúde. No consultório odontológico, por exemplo, uma das queixas tem sido a dor na musculatura e articulação temporomandibular, aliada à dor de cabeça. Junto com ela, intercorrência de fraturas e trincas dentárias.

            Segundo a cirurgiã dentista, especialista em DTM e Dor Orofacial Dra. Alice Miotto, da Ki Odontologia, dores na face, dificuldade durante a mastigação, estalos, ruídos ou travamentos mandibulares podem ser uma disfunção temporomandibular, a famosa DTM. “Esses sintomas tendem a causar dor ao abrir e fechar a boca e bastante desconforto facial. É a ansiedade e o estresse, descontados na musculatura mastigatória. É comum que os pacientes também reclamem de uma má qualidade de sono, sintomas intensificados pela ansiedade da pandemia”, afirma.

Sintomas – A DTM engloba desordens musculares da articulação temporomandibular e acomete a função mastigatória, gerando dor ou desconforto na região das têmporas, próximas ao ouvido ou na mandíbula. A DTM articular provoca sintomas bem localizados à frente da orelha, provocando dor, desconforto, estalidos ou desvios ao exercer a função mandibular. “Caso sinta alguns desses sintomas ao comer, bocejar, falar ou mastigar você deve procurar um especialista”, explica Dra. Alice Vanzela Miotto, especialista em DTM e Dor Orofacial (UFPR).

Tratamento – O especialista em DTM e Dor Orofacial é capaz de investigar as dores orofaciais, como as cefaleias primárias e secundárias (dor de cabeça), odontalgias (dor de dente) e neuralgias, além do bruxismo. Isso acontece através de questionários, exame clínico e exames complementares. “Nada melhor que uma longa conversa com o paciente para saber detalhes sobre o histórico da sua queixa”.

 

O tratamento da DTM e dor orofacial é realizado por meio do controle da dor e alívio da queixa principal, utilizando técnicas não invasivas como medicamentos, termoterapia, fisioterapia, laser, acupuntura e terapia cognitivo comportamental. “Quando a dor é refratária, procedimentos invasivos podem ser necessários.  O objetivo é controlar a dor e recuperar a função do aparelho mastigatório (como mastigação, fala, deglutição ou abertura bucal sem dor ou limitação), evitando também desgastes dentários, conservando a estética e garantindo a saúde e o bem-estar”, finaliza Dra. Alice.

 

Serviço:

Ki Clínica Conceito Odontologia e Estética

Rua Fernando Simas, 240.

Batel Soho, Curitiba (PR)

http://www.ki.odo.br/

Daj Resort & Marina vai retomar suas atividades no próximo dia 18 de setembro com todo o conforto, segurança e requinte que seus hóspedes já estão acostumados.

Localizado no Norte Pioneiro do Paraná, entre as montanhas de Ribeirão Claro e a represa de Chavantes, a tranquilidade, a estrutura e a exclusividade são características presentes no Daj que vem de encontro com o que o momento requer na retomada de hotéis e resorts.

Com apenas 32 suítes de 90 a 110 metros quadrados, o resort torna a hospedagem bastante íntima e reservada. Cama king size, roupas de cama e banho trussardi, produtos l’occitane, banheira de hidromassagem, área de banho com dois chuveiros e tv 55 polegadas, propiciam uma estadia ainda mais confortável.

Para a retomada das atividades, o resort reforçou seus procedimentos de higienização e treinou sua equipe para atender de acordo com as novas regras da Anvisa. Máscaras e luvas fazem parte do novo uniforme dos funcionários.

A tecnologia será uma das aliadas na redução do contato entre os hóspedes e os funcionários. Toda comunicação do hotel será através de leitura de QR Code diretamente pelo seu celular, dispensando o uso da papelaria e cardápios nas suítes e apartamentos.

O check-in será realizado na véspera, através da central de reservas e, caso desejar, não será necessário passar pela recepção. O frigobar poderá ser personalizado com a quantidade de ítens desejados, evitando a reposição.

Áreas Sociais e Lazer

Em uma área de 500 mil metros quadrados o Daj oferece um amplo espaço para as atividades recreativas e de lazer como quadras esportivas, pistas de caminhada, pescaria, campo de futebol, academia, salas de cinema e jogos. As crianças ainda contam com recreadores devidamente capacitados para entretê-las com todo cuidado necessário.

Amplas piscinas propiciam a sensação de exclusividade. Sendo que a aquecida é uma das maiores cobertas do país e tem cromoterapia que relaxa o hóspede durante o banho.

A higienização será frequente em todos os ambientes, sendo devidamente limpos e desinfetados a todo momento, principalmente nos pontos de mais contato, como balcões, maçanetas, corrimões, portas, cadeiras, mesas, corredores, entre outros. Além disso, em todas as áreas terão dispensers com álcool em gel 70 para higienizar as mãos.

Gastronomia

O prazer da hospedagem no Daj se estende à gastronomia que reúne elementos e diversidade da culinária local, nacional e internacional, tudo com muita criatividade e sabor.

Os hóspedes são surpreendidos com um amplo café da manhã, com o requintado jantar com uma rica variedade de ingredientes frescos e hortaliças orgânicas adquiridos diretamente dos produtores locais. Carnes nobres grelhadas e uma seleção de sobremesas finas complementam esta saborosa refeição.

Devido ao momento, as refeições serão preferencialmente à la carte, sempre com uma sugestão do chef para evitar buffets. As mesas serão posicionadas em uma distância segura entre hóspedes. Todos os salões estão sendo higienizados com maior frequência, como o chão, mesas, balcões e utensílios de cozinha.

Serviço

Daj Resort & Marina – Rodovia Bernardino T. Ribeiro KM 0,3 – Ribeirão Claro – PR

Informações para reserva: (43) 3371 3901 ou (43) 9 9149 9370

 

Os sabores e aromas do mundo dos vinhos voltam a se misturar com os das cervejas artesanais encorpadas neste final de semana em Curitiba. O Growler Day Pega & Vaza, na sede da cervejaria Bodebrown, traz uma escalação que tem na linha de frente a Grapes Stout, com adição de mosto de uvas, e a Hair of The Bode Millésime 2018, envelhecida por três anos em barricas de carvalho norte-americano. Funcionando exclusivamente no sistema Drive Thru, o evento acontece de quinta-feira a sábado.

Neste formato Pega & Vaza, todas as cervejas são vendidas em growlers plásticos. A Hair of The Bode Millésime 2018 e a Grapes Stout estão disponíveis em embalagens de um litro, ao preço de R$ 35. Mais cinco rótulos da Bodebrown também estarão disponíveis no evento: Stone/Bodebrown Cacau IPA, Trooper Brasil IPA, Perigosa Imperial IPA, Mago de Houblon Juice IPA e Curitiba Pale Ale. Estas estão disponíveis em growlers de dois litros, ao preço de R$ 55.

A estrutura montada permite que os clientes comprem os produtos sem sair do veículo, numa medida de prevenção à Covid-19.

Confira a lista de cervejas desta edição:

A Hair of The Bode Millésime 2018 é uma edição especial que passou por envelhecimento de três anos. A receita original é uma parceria com a cervejaria norte-americana Hair Of The Dog, da cidade de Portland (Oregon), especializada em vintage e strong Ales. Foi elaborada pelo cervejeiro e fundador desta marca, Alan Sprints, e produzida de forma colaborativa com a Bodebrown.

Segue o estilo Barleywine, historicamente conhecido pela sua aproximação com o mundo dos vinhos. Com teor alcoólico de 11,7% e 50 IBUs de amargor, é uma produção bem maltada, com notas de uvas passas e dulçor típico de seu estilo. Traz ainda aromas de biscoito, frutas secas, ameixa, além de notas sutis de vinho do porto. Tem potencial de guarda para os próximos 20 anos.

Grapes Stout – Esta cerveja representa um dos passos mais ousados – e saborosos – da Bodebrown na sua aproximação com o universo dos vinhos. A receita leva mosto das uvas tannat, cabernet franc e petit verdot, fermentadas com a levedura cervejeira. Ela foi inspirada no vinho tinto Bodebrown Gran Reserva One Millésime 2017, que em breve será lançado. A fórmula base foi elaborada a partir da releitura do clássico estilo Dry-Stout irlandês, com um bled que traz 17% de mosto de uvas e 83% de cerveja. Na boca, tem paladar seco, com notas de pão torrado, além de taninos equilibrados, com 6,1% de álcool.

Stone/Bodebrown Cacau IPA – A criação foi feita em parceria por Samuel Cavalcanti, cervejeiro da Bodebrown, e o norte-americano Greg Koch, da Stone Brewing. A adição de nibs de cacau confere a característica principal da Cacau IPA, uma das primeiras parcerias da Bodebrown. Ela tem 6,1% de teor alcoólico e toques cítricos e de caramelo. No aspecto visual, uma marcante cor cobre.

Trooper Brasil IPA – Criada pela Bodebrown em parceria com a banda Iron Maide, a Trooper Brasil IPA foi desenvolvida durante dois anos de intenso trabalho. Uma identidade brasileira foi o ponto de partida para a receita, que leva nibs de cacau e blend de lúpulos com notas de frutas tropicais. É uma cerveja de baixo amargor e suave sabor de malte, com 5% de teor alcoólico e notas de cacau, manga e chocolate branco.

Perigosa Imperial  IPA – Premiadíssima, ela foi pioneira do estilo Imperial IPA no Brasil, tendo sido lançada em 2010. O sabor revela seus 9,2% de teor alcoólico e alto amargor, enquanto a coloração traz tons de cobre e os aromas, por sua vez, remetem aos cítricos dos lúpulos, lembrando maracujá e goiaba. Além do Mondial de La Bière, conquistou outros importantes prêmios nacionais e internacionais.

Mago de Houblon Juice IPA – Uma homenagem ao lendário mago protetor das plantações de lúpulo, esta cerveja traz na composição os lúpulos Amarillo, Citra e Simcoe e a lupulina Mosaic, além dos maltes Pilsen, Munich, Carapils e malte de trigo. Com médio amargor, tem toque refrescante e 6,1% de teor alcoólico. É uma American IPA de cor amarelo ouro e aroma marcado por frutas cítricas. Trata-se de uma cerveja refrescante, que pode ser degustada a qualquer hora do dia e também acompanhando diversos tipos de pratos.

Curitiba Pale Ale – Trata-se de uma criação colaborativa em parceria com a cervejaria inglesa Adnans. Foi desenvolvida exclusivamente para os pubs da rede britânica JD Wetherspoon e depois foi vendida em mais de 2000 bares na terra da rainha Elisabeth. O estilo Pale Ale, um clássico da cervejaria inglesa, recebeu toques de pimenta rosa e um blend de lúpulos norte-americanos e ingleses, em uma bebida com 5% de teor alcoólico.

Pães de fermentação natural

O drive thru cervejeiro Pega & Vaza também tem espaço para a comida. A parte gastronômica do evento trará o Pão baguete da Fábrika Pães (R$ 10). Ele é feito com 10% de farinha integral e 90% da branca, mais água, sal e fermento natural Levain. Tem toques de Linguiça Blumenau na receita e passa por 15 horas e fermentação natural.

Growler Day Pega & Vaza da Bodebrown

Quinta e sexta-feira (27 e 28/8), das 14h às 19h, e no sábado (29/8), das 10h às 16h.

Endereço: Bodebrown – Rua Carlos de Laet, 1015 – Hauer, Curitiba – PR

Informações: (41) 3082-6354 | www.bodebrown.com.br

A última e diferenciada live será com o Prof. Dr. Maurizio Ceccarellii, direto da Itália, pioneiro em PRP e professor da Universidade de Barcelona. Junto estará o Prof. Dr. Roberto Tullii, em SP. Ambos vão revelar os benefícios do PRP atribuídos as novas técnicas do Rejuvenescimento Facial e Corporal.

Para assistir, acesse:

Instagram Dr. Roberto Tullii: https://www.instagram.com/robertotullii/

Canal do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCEujSLSisXs-UKrdVxWusxg

Fanpage Instituto Tullii: https://www.facebook.com/institutotullii/

✅Mais informações no site: http://institutotullii.com.br

Aos poucos o mercado de eventos está se adaptando com muita criatividade para continuar realizando sonhos nesse momento de pandemia. A curitibana Julia Lima comemorou no último sábado (22/08) o tão sonhado 15 anos, em uma festa Drive-in cuidadosamente organizada pela equipe de eventos, comandada pela cerimonialista Sara Bez. Com todo o requinte, sofisticação e glamour, o charmoso Haras Fortaleza foi o palco desta importante comemoração, que foi minuciosamente preparada para que proporcionasse toda a magia e atratividade de um inesquecível 15 anos, que ficará para a história e servirá de incentivo para que outras meninas não adiem o seu sonho e possam celebrar esta data marcante. Também, fica sugestivo para quem não quer esperar mais para realizar o seu casamento.

Julia Lima, assim como muitas outras meninas, teve o sonho adiado por conta da pandemia. A festa, que inicialmente era para acontecer no dia 18 de abril, foi remarcada para 19 de setembro, na esperança de que já tivesse passado esse momento do Covid-19. Porém, com o ambiente inseguro, surgiu a ideia da Festa de 15 Anos Drive-in, alternativa bem pensada por Sara Bez para criar o clima perfeito que a data merece.

A debutante, que teve como tema da festa “viagem”, pode vivenciar uma verdadeira comemoração de princesa, com direito a carro luxo (Ford Mustang 1965, cor azul baby), passarela, chuva de pétalas de rosas, valsa com o avô, com o padrasto e com o príncipe em uma pista iluminada ao fundo com led. Teve ainda, a entrega do anel por parte do avô, oração com padrinho, homenagens das amigas, bailarinos trajados de cup cake, robô de led, massagem nos pés, entre outros. “Eu tinha uma expectativa muito grande, mas foi muito além do que eu imaginava. A hora que eu cheguei de carro e vi tudo aquilo que foi preparado para mim, me emocionei. A festa foi incrível, me diverti muito. Posso dizer que valeu muito a pena, pude aproveitar cada momento. Mesmo com as regras e limitações que  são necessárias, posso dizer que vivi o meu verdadeiro sonho”, diz Júlia.

A festa finalizou com a abertura da pista de dança, em que a Julia entrou de mãos dadas com o robô de led, convidando os seus amigos a se posicionarem na frente dos seus carros e dançarem juntos. Ela dançou na pista de led acompanhada por bailarinos e bombeiros, preservando o distanciamento recomendado.

Cuidados

Os convidados foram recepcionados e orientados para todos os cuidados, com uso obrigatório da máscara e álcool em gel, além de seguirem as regras de distanciamento social. A festa foi preparada no centro do local, ladeada pelos carros dos convidados, em que as famílias puderam acompanhar as atrações de dentro do carro ou se posicionar na sua frente.

Os garçons serviram o menu da festa diretamente nos carros em embalagens descartáveis para preservar os cuidados.

Projeto abre oportunidades para os profissionais de eventos

Este evento foi um projeto piloto dos profissionais de eventos envolvidos na organização, que tem o objetivo de despertar a retomada gradual das festas de 15 anos e casamentos neste sistema Drive-in no estado do Paraná, reforçando a importância das celebrações na vida das pessoas.

De acordo com a organizadora Sara Bez, o evento surpreendeu a todos. “Tivemos comentários muito positivos de quem esteve lá. Realmente foi possível manter todo o glamour que a comemoração merece, diante de uma proposta segura, elaborada cuidadosamente e que seguiu o protocolo das recomendações sanitárias. Isso nos deixou muito felizes e foi uma prova real de que é possível realizar o sonho de muitas meninas que não querem esperar a pandemia passar para comemorar. Para nós, chega como uma excelente alternativa de movimentar o setor que está congelado desde março de 2020”.

Foto economista Nastássia Romanó Leite de Castro, coordenadora do projeto Rooms Against Covid Brasil.

Um projeto voluntário que viabilizou acomodação temporária a profissionais de saúde que atuam no combate ao coronavírus em Portugal chegou ao Brasil. Ou mais precisamente, em Curitiba, Porto Alegre, São Paulo, Sorocaba, Campinas, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá e Salvador.

Trata-se do projeto Rooms Against Covid Brasil (Quartos contra Covid) que está operando desde maio na capital paranaense e deve ser implantado além das capitais, também em cidades do interior do Paraná onde o problema com o corona vírus é sério. A coordenação do projeto é da economista Nastássia Romanó Leite de Castro. O objetivo é mostrar que tem como projetos mitigarem efeitos na saúde e também na economia. Se é verdade que 1 pessoa tem potencial de contaminar 80 em 30 dias, o projeto já permitiu que 7.200 não fossem atingidas pelo coronavírus. “Assim, contribuímos para não lotar a saúde pública e privada, e também movimentamos quartos antes vazios, através de uma rede de voluntários, parceiros, apoiadores”, comenta a coordenadora do projeto

E prossegue Nastássia Romanó:Já viabilizamos 240 noites a profissionais de saúde. Temos 150 cadastrados em nossa base, em quase todos os estados do Brasil. Estas pessoas tem necessidade urgente; Como as condições salariais não permitem que consigam arcar com o custo total da estadia, mesmo com as tarifas promocionais, o projeto busca doações. Para que possamos ter impacto ainda mais significativo e alavancar a operação, necessitamos de capital que ajude a alocar o quanto antes os já cadastrados, além de outros que se interessem pelo projeto.”

 

Em Curitiba, São Paulo e Brasília, hotéis aderiram à campanha, cedendo apartamentos para abrigar profissionais que estão trabalhando na linha de frente no combate ao Coronavirus, para que não tenham que ir para suas casas, o que leva a expor seus familiares ao risco.

De acordo com a coordenadora do trabalho, “entendemos que para o projeto poder alavancar e ter impacto ainda mais significativo, é necessário captar doações. Hoje, os hotéis entram como participantes com uma tarifa solidária (valor que mantenha seus custos, não dando prejuízo). Porém, a remuneração desses profissionais de saúde hoje ainda não viabiliza que possam arcar com os custos promocionais. Por isso, o projeto resolveu criar campanha de doações em que o valor total é revertido para subsidiar as acomodações e viabilizar a alocação dos profissionais de saúde. Podem participar empresas, com cotas maiores, e também pessoas físicas.”

 

RESPONSABILIDADE SOCIAL

 

Para a coordenadora do projeto, Nastássia Romanó, “estar no Rooms Against Covid significa participar de uma rede de solidariedade. Para o hotel, é uma ação de responsabilidade social ao acolher profissionais de saúde cobrando tarifas simbólicas, mas é algo que além de gerar valor à sua marca, auxilia para que mantenha sua operação.”

Ao explicar os procedimentos, a coordenadora salienta que “os quartos são completamente higienizados . Se durante a estadia alguém apresentar algum sintoma da Covid-19, os protocolos ficam ainda mais rigorosos. O profissional de saúde pode ficar no mesmo quarto e depois que ele faz checkout, o quarto fica em quarentena (de 3 dias) antes de profissionais da limpeza entrarem no quarto”.

Mais adiante, Nastássia explica que existem algumas especificações que ajudam para que mais hotéis consigam participar, dando segurança a todos envolvidos (incluindo seus colaboradores). São boas práticas de limpeza, que garantem segurança. Para tal, o projeto criou um estudo de protocolos de limpeza e biossegurança, apartir das recomendações da OMS e também das secretarias de saúde. Além disso, fez uma parceria com a FACOP, que oferece consultores especializados em limpeza para atrair hotéis e apoiá-los a manter sua operação em meio à pandemia.

A maioria do nosso público (enfermeiros, técnicos em enfermagem, fisioterapeutas) mora em residências com ambientes compartilhados, que não permitem que eles, dentro de suas próprias casas, consigam ter distanciamento social necessário para não levarem o risco a seus familiares. Além disso, muitos deles moram com pessoas do grupo de risco. No caso da hospedagem em hotel, além de poderem dormir bem, tranquilos, para que possam ter melhores condições de exercer seu trabalho, conseguem descansar por saberem que não estão expondo ninguém. Ao fazer isso, o projeto também contribui para que reduza o risco de contaminação da COVID-19.

Nastássia Romanó assistiu ao início da pandemia enquanto ainda estava na França. Segundo ela, “Quis aproveitar que o Brasil estava atrasado em relação à Europa, epicentro da pandemia. Pensei que fazia sentido olhar projetos bem sucedidos e trazer ao Brasil. Em Portugal, o governo lançou um desafio à comunidade de tecnologia, para que criassem soluções com potencial de crescer mais rápido que o vírus. Da reunião de startups, surgiu o movimento tech4covid19, que reuniu mais de 5.000 voluntários, 40 projetos – um deles, o Rooms Against Covid”.

A coordenadora do projeto, citou alguns exemplos, como de “um hotel em Curitiba destinou 20 dos 178 apartamentos para o projeto. Os demais hóspedes não têm contato com a ala, que está fechada por causa da crise do coronavírus. Os profissionais de saúde não podem ficar circulando e todas as refeições têm de ser feitas do lado de dentro. Após checkout, 3 dias de quarentena e só depois é limpo.

Na prática, a iniciativa funciona por meio de uma plataforma, que não tem custo algum. Nela, interessados em ofertar apoio (proprietários de acomodações, hotéis) se cadastram, bem como os que precisam de ajuda (profissionais da saúde da linha de frente no combate ao coronavírus). “Assim, provemos bem-estar, conforto, acolhendo essas pessoas que estão trabalhando sob pressão, amenizando sua árdua rotina. Ao fazer isso, viabilizamos a conexão com quartos de hotéis, flats, studios que hoje estão vazios por conta da pandemia, ocupando-os., explica a coordenadora.

No geral, são analisadas a jornada de trabalho dos profissionais de saúde para verificar exposição ao coronavírus, o local de trabalho, valor que pode pagar a diária e a partir desses dados, são ofertadas acomodações mais convenientes.

O contato para parcerias é no info@roomsagainstcovid.com.br.

E informações sobre o estão disponíveis no Site www.roomsagainstcovid.com.br e pelo whats 41 9 9969-1858

2ª Mostra de Cinema Egípcio Contemporâneo,

a primeira mostra de filmes on-line do CCBB,

fica mais uma semana em cartaz

http://www.cinemaegipcio.com

Atendendo aos pedidos do público, a 2ª Mostra de Cinema Egípcio Contemporâneo

ficará em cartaz mais uma semana, até 30 de agosto, exibindo os filmes mais solicitados pelas milhares de pessoas que acessaram o site www.cinemaegipcio.com. A mostra, a primeira totalmente on-line realizada pelo CCBB, ​começou em 29 de julho, exibiu gratuitamente 24 filmes, alguns deles com sessões inclusivas, realizou debates e workshops. O projeto é patrocinado pelo Banco do Brasil, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

 

Para comemorar o sucesso da mostra, os filmes ficarão disponíveis por muito mais tempo (durante 24h), a partir das 17h do dia de sua exibição. Esse foi o pedido mais recorrente nos muitos comentários feitos no site da mostra.

 

Serão reprisados três filmes dirigidos por mulheres: o documentário Joana d’Arc Egípcia (2016), de Iman Kamel, que discute as experiências das mulheres egípcias após a revolução de janeiro de 2011; Saída para o sol (2012), estreia da diretora Hala Lotfy, mostra o cotidiano de duas mulheres que cuidam de um familiar doente, participou de diversos festivais, como os de Berlim e de Toronto, foi premiado no Festival de Abu Dhabi e no Festival de Cinema Africano de Milão; e Vila 69 (2013), de Ayten Amin, uma comédia dramática que ganhou os prêmio de Melhor Direção e Melhor Ator (Kal Naga) no Festival do Cairo de Cinema Egípcio.

 

Também terão novas exibições, em sessões inclusivas, Fotocópia (2017), de Tamer Ashry, um dos filmes mais elogiados pelo público da mostra, com audiodescrição, e O Portão de Partida (2014), de  Karim Hanafy, uma experiência visual que quebra convenções, com legenda descritiva.

No final de semana será possível (re)ver O elefante azul 1(2014) e sua sequência O elefante azul 2 (2019), de Marwan Hamed, filme de terror que é o maior sucesso de bilheteria da história do cinema egípcio.

A repescagem se completa com Mensagens do mar (2010), de Daoud Abdel Sayed, que recebeu os prêmios de Melhor Diretor, Melhor Ator e Melhor Ator Coadjuvante no Festival de Cinema Egípcio do Cairo; Decor (2014), sofisticado filme em preto & branco de Ahmad Abdalla, um belo tributo à era de ouro do cinema egípcio das décadas de 1940 e 1950; Fora do comum (2014), de Daoud Abdel Sayed, um dos nomes fundamentais do neo-realismo egípcio; e dois filmes que conquistaram diversos prêmios no Festival do Cairo de Cinema Egípcio e tratam de questões ligadas às tradições religiosas e sociais do país:  Mawlana (2016), de Magdi Ahmed Ali, e Verde Seco (2016), de Mohammed Hammad.

2ª Mostra de Cinema Egípcio Contemporâneo apresenta filmes produzidos entre os anos de 2011 e 2019, que revelam a nova geração de cineastas egípcios em documentários e ficções de diversos gêneros – da comédia ao terror, selecionados pelo produtor e curador Amro Saad, egípcio naturalizado brasileiro.

Programação de 24 a 30 de agosto:

Dia 24/08 – Segunda-feira – 17h

“Entre dois mares”. De Anas Tolba (Egito, 2019). 87 min.14 anos.

Uma família de uma área rural no Egito é dividida após um trágico acidente. A busca de uma mãe por redenção, vingança e esperança define os eventos dessa história dramática de uma sociedade esquecida.

“Joana d’Arc Egípcia”. De Iman Kamel (Egito, 2016). 86 min.10 anos.

Documentário. O diário perdido de uma garota beduína (Jeanne) inspira a jornada de um cineasta (Kamel). O documentário discute as experiências das mulheres egípcias após a revolução de janeiro de 2011 através de formas de arte desafiadoras. No diário, Jeanne escreve sobre querer se libertar do mundo dominado pelos homens e se tornar dançarina. Kamel decide encontrar Jeanne se conectando com outras sete artistas egípcias.

Dia 25/08 – Terça-feira – 17h

“O portão de partida”. De Karim Hanafy. (Egito, 2014). 65 min.10 anos. Sessão inclusiva com legenda descritiva.

Uma meditação sobre tristeza, morte e aprisionamento psicológico que dispensa diálogo e narrativa para uma experiência visual que quebra as convenções.

“Saída para o sol”. De Hala Lotfy (Egito, 2012). 96 min.12 anos.

Vencedor de vários prêmios internacionais, incluindo o Melhor Filme Africano no Festival de Cinema Africano de Milão, em 2013, o filme conta a história cotidiana de duas mulheres que cuidam de seu familiar doente.

Dia 26/08 – Quarta-feira – 17h

“Decor”. De Ahmad Abdalla (Egito, 2014). 105 min.12 anos.

 A vida da designer egípcia Maha dá uma guinada quando ela se vê como uma pessoa completamente diferente – uma dona de casa. O filme mostra a solidão enfrentada por alguns que sofrem de doenças mentais, bem como os desafios enfrentados por seus entes queridos.

Em preto e branco, o longa é um belo tributo à era de ouro do cinema egípcio das décadas de 1940 e 1950. O cineasta Ahmad Abdalla mostra muitas invenções estéticas que o justificaram como o líder do novo cinema egípcio independente.

“Fora do comum”. De Daoud Abdel Sayed (Egito, 2014). 133 min. 12 anos.

Um médico tira férias em Alexandria quando sua pesquisa sobre a existência de poderes psíquicos em humanos deixa um espaço em branco. Ele se instala em uma pousada à beira-mar, lar de um grupo excêntrico de personagens.

Dia 27/08 – Quinta-feira – 17h

“Vila 69”. De Ayten Amin (Egito, 2013). 120 min.12 anos.

Hussein é um arquiteto em estado terminal, mas encantador, que desfruta de uma rotina solitária em sua antiga casa de família e de uma variedade de visitantes femininas. Sem perceber que seu passado está prestes a alcançá-lo, a irmã de Hussein e seu neto se mudam para casa, interrompendo um estilo de vida bem estabelecido e forçando-o a reexaminar suas ideias sobre vida, amor e família.

“Fotocópia”. De Tamer Ashry (Egito, 2017). 90 min.10 anos. Sessão inclusiva com audiodescrição.

Mahmoud, um velho aposentado, é proprietário de um centro de datilografia e fotocópia no Cairo que está lentamente se tornando irrelevante devido ao crescente uso de computadores. Ele leva uma vida rotineira que gira em torno de seus negócios, sua pensão sempre atrasada, seus vizinhos e clientes. Mahmoud começa a aprender sobre a extinção de

Dia 28/08 – Sexta-feira – 17h

“Mawlana”. De Magdi Ahmed Ali (Egito, 2016). 130 min.10 anos.

Uma jornada aparentemente tradicional de um jovem sheikh em uma mesquita governamental que deixa de liderar orações para se tornar uma celebridade da TV emitindo “fatwas” aceitos por milhões de pessoas. Ele conquista uma legião de fãs por sua coragem e pelas tentativas de se desviar da retórica religiosa usual em uma sociedade fortemente influenciada pelo fundamentalismo.

“Verde seco”. De Mohammed Hammad (Egito, 2016). 73 min. 14 anos.

Iman é uma jovem religiosa conservadora que se incomoda com a opinião dos outros sobre ela e que mantém uma posição rígida sobre a extinção das tradições sociais. Uma terrível descoberta, no entanto, irá fazê-la abandonar todas as tradições às quais um dia foi tão apegada.

Dia 29/08 – Sábado – 17h

“O elefante azul 1”. De Marwan Hamed (Egito, 2014). 170 min. 16 anos.

Após cinco anos afastado, o psiquiatra Dr. Yehia retorna ao seu trabalho apenas para encontrar seu amigo universitário, Sherif , que acabou de chegar para avaliação mental e psicológica por ser acusado de assassinato. Tentando ajudá-lo, Yehia desvenda mistérios que nunca pensou que existissem.

“O elefante azul 2”. De Marwan Hamed (Egito, 2019). 130 min. 16 anos.

Um novo preso no hospital psiquiátrico vira a vida do Dr. Yehia de cabeça para baixo. Ele prenuncia que a morte de toda a sua família está a apenas três dias. Yehia então usa as pílulas de elefante azul na tentativa de controlar as coisas e resolver os quebra-cabeças que ele enfrenta. O longa se tornou o filme egípcio com maior bilheteria na história do cinema egípcio.

Dia 30/08 – Domingo

16h30 – Encerramento / vídeo dos melhores momentos

SERVIÇO

 

2ª Mostra de Cinema Egípcio Contemporâneo

29 de julho a 30 de agosto de 2020

 

Patrocínio: Banco do Brasil

Realização: Centro Cultural Banco do Brasil

Curadoria: Amro Saad

Produção: Orientse

 

Acesso à Mostra: cadastro gratuito pelo http://www.cinemaegipcio.com

 

Centro Cultural Banco do Brasil

#CCBBemCasa

Acesso às ações e links de outra atividades digitais:

www.bb.com.br/cultura e redes sociais dos CCBBs

Nesta semana a Bulldog Tabacaria reabre para o público após um longo período funcionando por delivery e take away. A casa retorna com regras rígidas para os frequentadores, como limite do número de clientes na área de degustação, uso obrigatório de máscara, umidor com acesso restrito aos colaboradores, cardápio digital via QR Code e álcool em gel em todas as mesas.
“Estamos com atenção total para as regras sanitárias. Mesmo com as baixas temperaturas mantemos as janelas abertas o tempo todo. Além dos cuidados já usuais, higienizamos com muito rigor todo o material da casa, como cinzeiros e maçaricos, que agora são de uso individual e entregues ao cliente junto com o charuto”, informa Carolina Macedo, sócia da Bulldog ao lado de Walter Macedo.
A Bulldog Tabacaria está aberta para o público e take away de segunda a sexta-feira, das 12h às 20h, e sábado, das 10h às 16h. Os pedidos para delivery são recebidos pelo Whatsapp (41) 987363251. A casa fica na Rua General Aristides Athayde Júnior, 254, Bigorrilho. Mais informações em www.instagram.com/bulldog_tabacaria.

fotos matheus de la palm

Fã incondicional do clássico “Sem Destino” (Easy Rider), 1969, com Peter Fonda e Dennis Hopper o modelo internacional João Rossi um aficcionado por motocross, realiza ensaio para a Another Agency (SP). Com temática de esportes radicais o fotógrafo Matheus de La Palm registra Rossi em sua onda CRF 250. A paixão pela velocidade em duas rodas começou quando João tinha apenas 7 anos de idade. 50 anos depois da produção do filme ‘Sem Destino”, o espírito rebelde da contracultura está mais vivo do que nunca.

 

Resgate histórico, imagens exclusivas do período de isolamento e entrevistas com responsáveis são alguns dos materiais à disposição no Webdocumentário  

 

 

Com a maioria da população em isolamento desde março, devido ao Coronavírus, uma das atividades que as pessoas mais sentem falta de fazer é passear e viajar. Passear pela cidade onde moram, pelos pontos turísticos ou viajar para outras cidades. Em pesquisa feita pela Rede Nossa São Paulo, em parceria com o IBOPE Inteligência, para os moradores da região Oeste, por exemplo, a maior saudade é essa: viajar. 29% dos internautas votaram nessa opção.  

 

Pensando nisso, nasceu, em meio à pandemia, o trabalho acadêmico e projeto Ópera em Casa – um webdocumentário veiculado no Instagram, personalizado à Ópera de Arame. Criado por quatro jovens como ideia de projeto final para sua pós-graduação, o webdoc mostra como está atualmente a Ópera de Arame, divulga entrevistas com responsáveis do Ópera Arte e Vale da Música – ambos situados dentro da Ópera – e também publica materiais exclusivos que podem ser compartilhados e aproveitados nas redes sociais enquanto ninguém pode entrar no complexo.  

 

Nas palavras de Giuliano Pilagallo, proprietário do Ópera Arte e que concedeu uma entrevista exclusiva para o projeto, a importância da iniciativa de se ter um material como esse é de “se orgulhar”. “Quando o grupo me explicou o projeto e pediu o nosso apoio, topamos e ajudamos para que ele se tornasse realidade. Afinal, eu acredito que todos os curitibanos, inclusive eu, temos muitas saudades de entrar na Ópera, andar pela passarela e sentir esse lugar único em Curitiba”, afirma o empresário.  

 

Uma das estudantes idealizadoras do projeto, Mahayla Haddad, conta que antes mesmo da pandemia, a ideia para o TCC era fazer algo voltado a Ópera de Arame e a importância que esse local tem em nossa capital, mas que com o Coronavírus, tudo mudou. “Assim que o complexo foi fechado por normas de segurança, tivemos que dar a volta por cima e pensar em outro projeto, mas não queríamos largar o nosso principal tema: mostrar a história e importância que a Ópera de Arame tem em nossa cidade e estado a jovens, adultos e crianças por meio de um webdoc nas redes sociais”, conta.  

 

O grupo ainda esclarece que o feed do projeto conta com tantas curiosidades e histórias que motivos para os espectadores sentirem saudade de ir até lá não vão faltar. O webdocumentário pode ser acessado pelo perfil de Instagram @operaemcasa e foi realizado pelos estudantes Felipe Martins, Laura Lana, Mahayla Haddad e Paulo Saito no curso de Pós-graduação em Narrativas Audiovisuais e Novas Mídias do UniBrasil.

 

O Cineclube Aurora, iniciativa que acontece no Museu da Imagem e do Som-PR, pensada com o intuito de não apenas dar visibilidade, mas também pensar e debater a produção cinematográfica do Paraná, passará a trazer, a partir desta quinta-feira (13), de modo intercalado e ainda remoto devido à pandemia de Covid-19, dois tipos diferentes de conteúdo.

O primeiro deles é o Auroracast, um podcast sobre cinema e temas análogos, com prévia no Instagram e episódio completo nas plataformas YouTube e Spotify. O primeiro episódio vai ao ar já nesta quinta-feira, às 17 horas, com um comentário sobre o Ciclo de Curtas-metragens Paranaenses da Década, realizado no primeiro semestre de 2020.

O segundo tipo de conteúdo é intitulado Filme da Quinzena. A exemplo do último ciclo do Aurora, o quarto de sua existência, sempre será programado um comentário e um filme do Paraná, sugerido por nossa curadoria, com link para visualização. Desta vez, serão discutidos títulos de todas as épocas e durações, sem um recorte específico.

Para os curadores do cineclube, Tomás van der Osten, Cristiane Senn e William Biagiolli, é essencial ver, conhecer e reconhecer o que está sendo produzido para que haja curadoria, crítica, pesquisa, produção, preservação. Longe de procurar algum tipo de identidade, o acesso é o primeiro passo para fortalecer a cena cinematográfica paranaense como um todo.

O recém-encerrado Ciclo nº 4 do Cineclube Aurora, realizado por inteiro virtualmente, trouxe muitos filmes e muitas surpresas. Desde o dia 28 de abril, o Aurora, em seu Instagram @cineclubeaurora, realizou uma série de publicações, sempre às terças, como um convidado comentando sua lista de 5 a 10 melhores curtas-metragens da década. Nas quintas, foi publicado um filme da escolha dos curadores, também com comentários. Esse ciclo, que terminou no último dia 6 de agosto, trouxe 14 pessoas da área audiovisual + suas listas, 15 filmes escolhidos pelos curadores com link para visualização, gerando um total de 84 produções mencionadas e trazidas à luz. Até o instante deste texto foram mais de 8.000 visualizações dos vídeos do IGTV.

Serviço –

Auroracast: podcast sobre cinema e temas análogos, com prévia no Instagram @cineclubeaurora, dia 13, às 17h, e episódio completo nas plataformas YouTube e Spotify.

Filme da Quinzena: conteúdo publicado semanalmente, às quintas-feiras, de forma intercalada com o Auroracast, e que poderá ser conferido sempre no Instagram @cineclubeaurora.