Cultura

“A Santa do Impossível” integra programação da 44a Mostra Internacional de Cinema em São Paulo

Pinterest LinkedIn Tumblr

Um filme protagonizado por peruanos, adaptado de um romance holandês por uma
roteirista neozelandesa, dirigido por um suíço e filmado em Nova York por um diretor de
fotografia turco. Este é “A Santa do Impossível”, longa de ficção que faz sua estreia
mundial na 44a Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, que acontece de 22 de
outubro a 4 de novembro em cinemas drive-in da capital paulista e plataformas de
streaming na internet.
Baseado no romance do premiado escritor Arnon Grunberg, o drama de ares cômicos sobre
uma família de imigrantes latino-americanos vivendo ilegalmente na Nova York da Era
Trump é o primeiro longa-metragem do suíço Marc Wilkins, diretor do curta pré-indicado ao
Oscar “Bon Voyage”. No papel principal está Magaly Solier, atriz peruana mais conhecida
por seu trabalho em “A Teta Assustada”, filme vencedor do Festival de Berlim e indicado
ao Oscar Melhor Filme Estrangeiro em 2010, que lhe rendeu um prêmio de Melhor Atriz no
Festival de Gramado em 2009.
Magaly interpreta Rafaella, uma imigrante peruana que vive ilegalmente com seus filhos
adolescentes, os gêmeos Paul e Tito (Adriano and Marcello Durand), na cidade de Nova
York. Influenciada pelo namorado, o escritor suíço Ewald (Simon Käser), ela decide montar
um delivery de burritos clandestino em seu pequeno apartamento no Bronx, sem imaginar
que poderia chamar a atenção das autoridades. Enquanto isso, Paul e Tito tentam
conquistar a coração de Kristin (Tara Thaller), uma misteriosa prostituta croata que acaba
por envolvê-los em um crime.

Apesar do potencial trágico da trama, o diretor conta que tomou muito cuidado para não
retratar seus protagonistas com ares de comiseração. “Não queria que o público sentisse
pena dos personagens, porque essa pena geralmente parte de um lugar de superioridade
de quem a sente”, explica Marc. “Queria que o público admirasse esses imigrantes,
torcessem por eles e se emocionassem com eles, mas de um lugar de igualdade, porque é
assim no romance do Arnon Grunberg. A história tem humor, ironia, um tom agridoce — nem
só amargura, nem só doçura”.

SOBRE O FILME
A SANTA DO IMPOSSÍVEL THE SAINT OF THE IMPOSSIBLE)
Suíça | 2020 | cor | 97 min | Ficção
Em exibição no Mostra Play: https://mostraplay.mostra.org/film/a-santa-do-impossivel/
Sinopse
Paul e Tito são dois adolescentes peruanos em busca de algum sentido e sexo na cidade
de Nova York. Eles são imigrantes ilegais e anseiam pelo amor de uma misteriosa garota
croata. Ao mesmo tempo, a mãe dos jovens, Raffaella, apaixona-se por um escritor suíço e
sonha construir um futuro com ele. O romancista, no entanto, convence a mulher a começar
um império de burritos em sua cozinha no Bronx. Mas o sonho americano passa a se
transformar em uma armadilha conforme a deportação se aproxima.

Ficha técnica
Direção: Marc Raymond Wilkins
Roteiro: Lani-Rain Feltham, Marc Wilkins
Fotografia: Burak Turan
Montagem: Jann Anderegg
Música: Balz Bachmann
Elenco: Magaly Solier Romero, Adriano Durand, Marcelo Durand, Tara Thaller, Simon Käser
Produtor: Joël Louis Jent
Produzido por: Dschoint Ventschr Filmproduktion AG

Sobre o diretor
Marc Wilkins nasceu em Berna, na Suíça, em 1976. Trabalhou em vários departamentos em
mais de dez projetos de longas-metragens por toda a Europa. “A Santa do Impossível” é
seu primeiro longa-metragem, após ter dirigido curtas premiados e filmes publicitários
durante anos.
A história de seu mais recente curta-metragem, “Bon Voyage”, gira em torno da grave crise
migratória no Mar Mediterrâneo. Ele foi exibido em 70 festivais ao redor do mundo, foi
selecionado para a pré-lista de indicados do Oscar 2017 (89th Academy Awards) e ganhou,
entre outros 46 prêmios, o Swiss Film Award.

Outro curta de Marc, “Hotel Pennsylvania” estreou no prestigioso Clermont Ferrand Festival
em 2012. Assim como “A Santa do Impossível”, o filme observa o Sonho Americano e seus
sonhadores.

Sobre a 44a Mostra
De 22 de outubro a 4 de novembro, acontece a tradicional Mostra Internacional de Cinema
em São Paulo —em 2020, em versão majoritariamente on-line e disponível para todo Brasil.
Durante duas semanas, serão exibidos 198 títulos de 71 países em três plataformas (a
Mostra Play, o Sesc Digital e a Spcine Play) e em dois cinemas ao ar livre: o Belas Artes
Drive-In e o CineSesc Drive-in.
A seleção desta edição faz um apanhado do que o cinema contemporâneo mundial tem
produzido, além de apresentar tendências, temáticas, narrativas e estéticas. A 44a Mostra é
composta de cinco seções: Apresentação Especial, Competição Novos Diretores, Mostra
Brasil, Mostra Brasil – Competição e Perspectiva Internacional. O festival também reflete a
pandemia e o futuro do audiovisual no IV Fórum Mostra.

Comentários estão fechados.