Tag

cultura

Browsing

Termina no próximo dia 27 de julho, às 17h59, o prazo de inscrições no edital Cultura Feita em Casa, lançado no início deste mês pela Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura. Serão selecionados conteúdos digitais artísticos e culturais autorais já finalizados para exibição por meio de plataformas de streaming e mídias sociais do Governo do Paraná.

A obra deverá ser material de audiovisual ou áudio, já produzido, nas áreas de Artes Cênicas; Artes Visuais; Audiovisual; Expressões Culturais, Populares, Indígenas e oriundas de comunidades tradicionais; Literatura, Livro e Leitura; e Música. Esses conteúdos podem ser monólogos, esquetes de comédia, literatura dramática, performances de circo, performances de dança, oficinas teóricas ou práticas, podcasts, apresentações de voz e violão ou instrumental, contação de histórias, videoaulas sobre técnicas ou teorias, vídeos de arte-educação, ação educativa de formação e curtas-metragens.

A duração de cada material deve ter entre 15 minutos (mínimo) e 30 minutos (máximo), com classificação indicativa de até 12 anos. Os conteúdos selecionados serão licenciados para exibição pelo prazo de 24 (vinte e quatro) meses, contados a partir da assinatura do contrato.

É importante reforçar que no momento da inscrição os conteúdos já estejam produzidos, ou seja, não serão escolhidos projetos que ainda serão elaborados após a seleção. Porém, aqueles que desejarem produzir o material especificamente para participar deste edital, podem fazê-lo desde que adotem medidas de prevenção e segurança para a execução da atividade cultural, tomando como base as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e dos decretos estaduais e municipais que se referem às medidas sanitárias de enfrentamento à emergência de saúde pública.

QUEM PODE PARTICIPAR – Podem se inscrever pessoas físicas ou jurídicas domiciliados e residentes no Paraná há mais de 12 meses, contados a partir da publicação do edital. O proponente terá que escolher entre duas modalidades para se inscrever, relacionadas ao seu município sede: Capital do Estado ou Municípios do Estado do Paraná. A inscrição em mais de uma abrangência implicará na desclassificação.

RECURSOS – será disponibilizado o valor de R$ 1.020.000,00 (um milhão e vinte mil reais) para seleção de até 510 obras, sendo 85 projetos de cada área cultural do edital. O proponente que tiver a obra selecionada receberá o valor de R$ 2 mil por projeto.

INSCRIÇÕES – As inscrições devem ser feitas online por meio do sistema SIC.Cultura e ficam abertas até 27 de julho de 2020 .

O edital Cultura Feita em Casa integra o Pacote de Medidas de Apoio e Fortalecimento do Setor Cultural, uma série de ações voltadas a artistas, gestores e produtores com o objetivo de valorizar a cultura feita no Paraná e auxiliar a classe artística a enfrentar este momento de crise.

SERVIÇO: Edital Cultura Feita em Casa.

Inscrições até as 17h59 minutos do dia 27 de julho de 2020.

Confira o edital: www.cultura.pr.gov.br

Inscrições: www.sic.cultura.pr.gov.br

Mais informações: Coordenação de Incentivo à Cultura pelo e-mail culturafeitaemcasa@secc.pr.gov.br

O Museu de Arte Contemporânea do Paraná (MAC-PR) acaba de lançar o “Da janela de casa”, uma newsletter enviada por e-mail, todo domingo, com sugestões de leitura, museus online e dicas culturais para quem deseja permanecer conectado com a arte nesses tempos de isolamento e distanciamento social. Para receber basta se inscrever gratuitamente pelo link bit.ly/dajaneladecasa.

Produzida pela equipe do MAC-PR, a newsletter aborda em seu texto de apresentação a ideia de que “A internet é uma janela para o mundo”, relembrando o sentimento gerado nos primórdios da World Wide Web: “olhávamos felizes para ela como uma janela para toda cultura e conhecimento reunidos no mundo”, e faz o convite: “Seu celular ou computador ainda pode ser essa janela! Vamos aproveitar a quarentena para lembrar como a web pode ser incrível?”.

A coluna Leia em casa traz dicas de leitura diversificadas, que vão de reflexões sobre o momento atual e possíveis transformações trazidas pela pandemia de Covid-19 a e-books de literatura gratuitos mapeados pela equipe do MAC-PR. Videoarte pra ver do sofá reúne outra série de sugestões, dessa vez para ver e ouvir. Em Acervos online, a equipe disponibiliza todo o acervo artístico do museu e parte do acervo documental que estão no sistema Pergamum Museus, além de outras propostas de acervos nacionais e estrangeiros. Conta, ainda, com uma seção de Podcasts, mídia sonora que tem ganhado cada vez mais adeptos. Semelhante a um programa de rádio, mas com o diferencial de ficar disponível para ser ouvido quando quiser.

A ideia é, a cada semana, levar aos assinantes uma curadoria de materiais sobre arte disponíveis na rede.

DECRETO ESTADUAL – O Museu de Arte Contemporânea do Paraná está temporariamente fechado para o público, atendendo ao decreto estadual nº 4.230, que determina o fechamento dos espaços culturais do Governo do Paraná – museus, bibliotecas e teatros – e suspende os eventos artísticos e culturais desde o dia 17 de março de 2020.

SERVIÇO
Newsletter “Da janela de casa” do MAC-PR
Periodicidade: semanal (todo domingo)
Inscreva-se: bit.ly/dajaneladecasa
Confira a primeira edição: bit.ly/dajaneladecasa1

Museu de Arte Contemporânea do Paraná
www.mac.pr.gov.br
Instagram: @mac_parana
Facebook: @macparana

foto julia rodrigues

Rapper ocupa o palco do Guairão para uma única apresentação.

 Ingressos estão à venda no site e pelo aplicativo do evento

 

 

Para um mundo em decomposição, Emicida optou por escrever como quem manda cartas de amor. O resultado desse exercício é o novo projeto de estúdio do rapper paulista, AmarElo, em que ele propõe um olhar sobre a grandeza da humanidade. O público da 29.ª edição do Festival de Curitiba terá o privilégio de ver o artista e sua obra no palco Guairão, dentro da Mostra 2020, nos dia 02 de abril.  No repertório estarão as novas canções, como a faixa-título e “Eminência Parda”, além de músicas que marcaram a sua carreira.

Desde que começou a dar os primeiros passos no rap, nas batalhas de freestyle, lá pelo ano de 2006, Leandro Roque de Oliveira, o Emicida, sabia que queria ter uma carreira sólida. Talvez ele não soubesse que construiria alicerces consistentes o suficiente para ir além da sua própria trajetória. Assim, se tornou a principal referência da sua geração no rap, criou, ao lado do irmão, Evandro Fióti, uma empresa – a Laboratório Fantasma -, que é responsável por outros artistas, mas também cuida de merch, tem estúdio, selo, etc. Um negócio tido como case de sucesso e inspiração no mercado da música.  Mas mais do que sucesso, Emicida tem a vontade de tocar a vida das pessoas. E a sua trilha sonora de artista nascido na Zona Norte foi perfeita para contar essa história. Com o lançamento da primeira mixtape, Pra Quem Já Mordeu um Cachorro por Comida Até que Eu Cheguei Longe (2009), Emicida chamou a atenção do público, da imprensa e dos contratantes. O trabalho produzido de forma artesanal e vendido (por ele) a dois reais nas ruas o levou aos principais festivais do Brasil e do mundo, incluindo Rock in Rio, Roskilde (Dinamarca) e Coachella (EUA). Após duas mixtapes e dois EPs, o rapper paulista ganhou notoriedade para além do nicho do rap com o seu primeiro disco de estúdio, O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui (2013), que teve participação de Pitty, Wilson das Neves, Tulipa Ruiz, entre outros.

 “Não se trata de um disco simplesmente dedo-na-cara, de cenas cuspidas na cara do ouvinte. Há lucidez, música, e, principalmente, poesia”, afirmou o jornal O Globo na época do lançamento. O mesmo se deu com o sucessor Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa (2015). Inspirado em uma viagem por Angola e Cabo Verde, trouxe participações de nomes do calibre de Caetano Veloso e Vanessa da Mata. Este foi indicado ao Grammy Latino – a outra indicação de Emicida à premiação foi com a música “A Chapa É Quente”, do projeto Língua Franca (2017), parceria em que ele, Rael e os rappers portugueses Capicua e Valete celebram a língua comum entre os dois países.

Em paralelo, a Laboratório Fantasma deu um passo crucial para a consolidação da marca LAB. Em 2016, estreou na São Paulo Fashion Week, maior evento de moda da América Latina, com um desfile histórico. “Felizmente, o desfile da LAB em nada se parece com o que se vê na SPFW. Só pela seleção de modelões, 90% formada por negros e alguns do mercado plus size, a marca já se destaca”, afirmou o jornal O Estado de S. Paulo sobre a estreia. “Entende-se a beleza de uma maneira pobre, a gente quis enriquecer isso, colocar pessoas que encontro nas calçadas todos os dias. A gente perde quando não reconhece essa beleza”, disse Emicida àquela altura.

A discografia do rapper ganhou um novo episódio em 2018, quando lançou o seu primeiro DVD ao vivo. O registro foi feito no ano anterior, no dia 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, e teve como mote os 10 anos do single “Triunfo”. Outros frutos de 2018 foram: o single “Hacia El Amor”, com o duo franco-cubano Ibeyi; e o seu primeiro livro infantil, intitulado Amoras. Em 2019, ano em que a LAB completou 10 anos, Emicida conseguiu olhar pra trás com êxito, mas ainda mira o futuro. Hoje, tem o entendimento do todo que foi feito até aqui: um experimento social que ainda está em construção.

Acompanhe todas as novidades e informações da Mostra 2020 do Festival de Curitiba pelo site www.festivaldecuritiba.com.br, pelas redes sociais disponíveis, no Facebook @fest.curitiba, pelo Instagram @festivaldecuritiba e pelo Twitter @fest_curitiba

 

Apresentadores, patrocinadores e apoiadores

 

O Festival de Teatro de Curitiba tem parceiros fundamentais para sua realização e é patrocinado pelo Ebanx, Vivo, Uninter, Renault do Brasil, Electrolux, Banco RCI Brasil, Junto Seguros, Copel – Pura Energia, Sanepar, Governo do Estado e GRASP. O Programa Guritiba é apresentado por New Holland, com patrocínio de Novozymes e Fibracem. O MishMash é apresentado pela Unimed Curitiba e Thales Group, com o apoio da Ritmo Logística. Quem apresenta o Risorama é a Potencial Petróleo, com o patrocínio de Previsul Seguradora, tendo como a cerveja oficial a Cacildis e o apoio de FH Consultoria e Grupo Barigui. As bilheterias do Festival de Curitiba são uma parceria com o ParkShoppingBarigüi e o Shopping Mueller.

 

 

FICHA TÉCNICA:

Direção Geral: Emicida e Evandro Fióti
Direção Musical: Julio Fejuca
Cenografia: Zé Carratu
Conteúdo: Studio Curva
Coordenação de Produção: Raissa Fumagalli
Produção Executiva: Lohana Schalken
Produção Técnica: BillSaramiolo
Técnico de PA: Nivaldo Costa
Técnico de Monitor: Flávio Brandão
Iluminador: Dalmir Vianna
Roadie: Gabriel Izidoro
VJ: Leonardo Patrevita.

Banda: Baixo, cavaco e violão – Julio Fejuca. Guitarra, violão baixo e backvocal – Michelle Lemos. Bateria, bateria eletrônica e percussões – Silvanny Sivuca. Toca-discos e backing vocal – Dj Nyack.

 

 

Serviço:

O que: Emicida no Festival de Curitiba 2020

Quando: 02/04 às 21h

Onde: Guairão (Praça Santos Andrade)

Valores:  R$ 80,00 (inteira)

Ingressos: www.festivaldecuritiba.com.br, pelo aplicativo “Festival de Curitiba 2020”, e nas bilheterias físicas do ParkShoppingBarigui (Piso térreo próximo à praça de eventos), de segunda a sexta-feira, das 11h às 23h; sábado das 10h às 22h e domingos das 14h às 20h; e no Shopping Mueller (piso L3), de segunda-feira a sábado, das 10h às 22h; domingos e feriados, das 14h às 20h.

Classificação: LIVRE
Duração: 90´

foto marlon rodrigues

Livro é inspirado em um crime verídico, que ocorreu em 2017, fazendo a utilização de elementos da investigação policial com recursos fictícios para criar a atmofera desejada.

Evento de lançamento está marcado para o dia 27 de novembro, na Livraria da Vila do Pátio Batel, a partir das 18h30

 

 

Sinopse: 5 de setembro de 2017. Na fria cidade de Curitiba, capital do Paraná, uma senhora de 93 anos é assassinada sob circunstâncias misteriosas. Após o corpo ser encontrado por sua cuidadora, a Divisão de Homicídios faz uma densa investigação forense em cima do caso. Mas, quando em meio às investigações é descoberto que sua conta fora saqueada horas após a sua morte, segredos nunca revelados e reviravoltas surpreendentes transformam essa brutal história real em um suspense eloquente em meio a uma cidade apática e sem escrúpulos.

 

 

Curitiba, 21 de novembro de 2019  “A vida é muito mais do que migalhas”, esta frase do autor curitibano Guilherme Carraro explica um pouco sobre sua primeira obra, “O Formigueiro”, baseada em um crime verídico que ocorreu na capital paranaense em 2017.

No livro, uma senhora de 93 anos foi encontrada morta sob circunstâncias misteriosas pela sua cuidadora. Em meio às investigações, comandadas pela Divisão de Homicídios, descobre-se que sua conta bancária sofreu transações fora do comum, trazendo à tona segredos nunca revelados e reviravoltas que transformam uma história brutal em um suspense persuasivo.

O escritor e jornalista faz uso de recursos da ficção para criar diálogos inspirados no acontecimento, apostando em uma atmosfera sombria e instigante, porém sem alterar a veracidade dos fatos.

“Acho importante falarmos sobre o impacto desses atos de violência na sociedade como um todo, assim como nos sujeitos envolvidos no crime. Situações desse cunho se tornaram comuns nos jornais e em programas televisivos, tornando-se banais e deixando o desfecho menos relevante do que o próprio acontecimento. Em ‘O Formigueiro’, procuro dar uma certa voz aos envolvidos no caso, desde a equipe de investigadores, até os suspeitos, mostrando um pouco do contexto social e instigando sobre como a vida humana passou a valer algumas migalhas, na tentativa de ir muito mais além do que uma matéria de 30 segundas na televisão ou de  uma página de jornal”, explica o também jornalista, Guilherme Carraro.


Processo de pesquisa e influências – Durante sua passagem pela FLIMO – Festa Literária de Morretes, evento que contou com grandes nomes da literatura nacional, como Cristóvão Tezza, Guilherme Gontijo Flores, entre outros, Carraro falou sobre o processo de pesquisa pelo qual passou para a coleta das informações. “Tive acesso a todo o material da investigação, incluindo fotos e detalhes que não foram exibidos nas matérias da grande mídia, assim como a informações passadas pelos próprios investigadores. Foi quase como uma experiência imersiva, em que precisei navegar a fundo para poder abordar todas particularidades sem distorcer em nada o acontecimento”.

Em relação às suas inspirações, o jornalista citou autores consagrados do gênero, como Agatha Christie, Jo Nesbø, Edgar Allan Poe, Patrícia Melo e Dalton Trevisan, fazendo referências Às obras, “Assassinato no Expresso Oriente”, “Boneco de Neve”, “O Vampiro de Curitiba”, entre outros.

Lançamento na Livraria da Vila

No dia 27 de novembro (27 de novembro), a partir das 18h30, a Livraria da Vila do Pátio Batel (Av. Do Batel 1868 – Lj 314 – Piso L3), recebe Guilherme Carraro em um evento gratuito de lançamento da obra. O autor estará disponível para um bate-papo sobre a obra, fotos e autógrafos nos exemplares disponíveis.

“O Formigueiro” já está disponível nas principais livrarias do Brasil e Portugal pelo valor de R$30, assim como pelas plataformas online da Saraiva, Amazon, Chiado Books, entre outros.


Ficha Técnica:

“O Formigueiro”
Autor: Guilherme Carraro

Data de publicação: Setembro de 2019
Número de páginas: 106
ISBN: 978-989-52-5680-8
Coleção: Compedium
Idioma: Português / BR
Editora: Chiado Books
Valor: R$30
E-Book: £3

Sobre o autor: Guilherme Carraro nasceu em 1997 e é formado em Jornalismo pela Universidade Positivo, e em Cinema e Roteiro pela Hollywood Film Academy. É fã assumido da literatura e teve seu primeiro contato com o universo dos livros por leio de “O Grande Gatsby”, de F. Scott Fitzgerald, e “O Cão dos Baskerville”, de Sir Conan Doyle. Na área jornalista, se apaixonou por um novo estilo da narrativa, o jornalismo literário, que consiste em obras de mistério, que navegam entre o real e fictício, sendo influenciado por grandes autores, como Agatha Christie, Jo Nesbø, Edgar Allan Poe, Raphael Montes, Truman Capote, Ilana Casoy, Patrícia Melo, Dalton Trevisan, entre outros.

“O Formigueiro” é sua primeira obra e aposta em uma linguagem informal, com diálogos que combinam acontecimentos verídicos e hipotéticos, criando uma atmosfera obscura, crua e instigante.

 

Serviço:
Lançamento “O Formigueiro”
Autor: 
Guilherme Carraro
Data: 27 de novembro (quarta-feira)
Horário: A partir das 18h30
Local: Livraria da Vila – Pátio Batel (Av. Do Batel 1868 – Lj 314 – Piso L3)
Gratuito
Evento oficialhttps://www.facebook.com/events/539147066881499/

Venda online: https://www.chiadoeditora.com/livraria/o-formigueiro
Editora: Chiado Books

Rede social – Instagram – @gui_carraro
Facebook.com/OFormigueiroLivro

CRISTOVÃO TEZZA

O litoral do Paraná está prestes a receber a primeira edição da FLIMO – Festa Literária de Morretes, um evento gratuito que dominará a cidade histórica com uma programação especial repleta de experiências artísticas em torno da literatura, escrita, debates e apresentações musicais, reunindo escritores para conversar com o público e ações culturais voltadas às crianças.

A primeira edição, que tem o objetivo de celebrar a literatura como espaço de troca e de presença coletiva, contrapondo o ato solitário do leitor e do autor, ocorre de 8 a 10 de novembro, sendo sexta, a partir das 19h; e sábado, das 11h às 21h; e domingo, das 11h às 17h,  trazendo autores e leitores para refletir sobre como a escrita habita as cidades e pode ser esse espaço de convergência.

A realização da FLIMO é da Gloriosa Produção Cultural em parceria com o Morretes Convention & Visitors Bureau e patrocínio do Sebrae – PR.

Conversas, história, cinema e literatura

A edição contará com seis conversas literárias programadas para o final de semana em que o evento ocorrerá, que tomarão conta de um casarão histórico, sede do Instituto Mirtillo Trombini.

Para a abertura, na sexta-feira (8),  a FLIMO convida ao palco expoentes da região, que atuam há tempos pela memória e a literatura da cidade, como Eric Joubert Hunzicker, historiador de Morretes que falará sobre memória, literatura e cidade, contando com a medição de Fernanda Fressato, proprietária da Livraria da Barca, de Antonina.

No sábado, as conversas começa com a escritora, artista visual e fundadora da Esc – Escola de Escrita, Julie Fank; seguidas pelos autores de livros, HQ’s e cinema, Carol Sakura e Walkir Fernandes, que irão apresentar também seu curta-metragem “Apneia”, premiado como “Melhor Curta-Metragem” no 47º Festival de Cinema de Gramado. O jornalista e autor curitibano Guilherme Carraro também marca presença no evento, lançando sua obra “O Formigueiro”, baseado em um crime verídico que ocorreu na capital paranaense e que faz uso de recursos fictícios para compor o clima de mistério da narrativa.

Ainda no sábado, a edição recebe o poeta, tradutor e ensaísta, Guilherme Gontijo Flores, que recebeu prêmios APCA e Jabuti por sua tradução da obra “A Anatomia da Melancolia”, de Robert Burton, com mediação de Iamni Reche Bezerra. Cristóvão Tezza, um dos mais premiados e traduzidos autores brasileiros encerra o dia 9 de novembro. O escritor conta com mais de 20 obras de ficção em seu currículo, além de inúmeros prêmios.

No domingo (10), o escritor e professor Cezar Tridapalli abre as conversas literárias, seguido pela poeta e tradutora Luci Collin.

Musicalidade e Celebração cultural

Além de trazer a literatura para o espaço real, a FLIMO também quer ocupar as ruas e os coretos da cidade com uma programação musical variada, propondo uma experiência única para os participantes da edição.

No sábado, durante o horário do almoço, um grupo de choro convida o público para se divertir no Largo Lamenha Lins. Ainda no mesmo dia, após a última conversa literária, o escritor, dramaturgo e músico Alexandre França, encerra a noite com uma experiência intimista em um quintal à beira do rio Nhundiaquara.

No domingo, também na faixa do meio-dia, é a vez de Janine Mathias, à convite do evento, apresentar um show em homenagem às mulheres compositoras com seu projeto Samba da Nega. O Cortejo Literário, promovido pela Trupe Periferia (grupo liderado por Kenni Rogers), marca o encerramento da primeira edição da FLIMO. Essa ação tomará conta do coreto e da praça principal da cidade, mostrando o resultado da oficina de expressão: escrita e declamação, voltada a crianças e jovens de Morretes.

Para as crianças

Os pequenos também terão direito a uma ampla programação gratuita, que tomará conta do coreto da Praça das Bandeiras. Entre as atividades disponíveis, performances poéticas, contação de histórias, biblioteca na praça, instalações interativas, além de um ateliê gráfico em que elas poderão experimentar processos de confecção de livros e histórias. A programação infantil da FLIMO será realizada em parceria com o projeto Literalux, que promove, por meio de diversas ações durante o ano, a leitura literária em Paranaguá.

 Confira a programação completa:
Sexta (8/11) 
19h – Cerimônia de abertura

Sábado (9/11)
11h – Conversa literária, com Julie Fank
11h às 17h – Programação infantil:
                     – Ateliê gráfico (confecção de livretos com carimbos, colagem e cor);
– Instalação artística;
– Contação de histórias;
-Biblioteca na Praça;
12h às 14h – Chorinho no coreto – Show com Julião Boêmio e grupo
15h – Conversa literária, com Carol Sakura e Walkir Fernandes – (com exibição do curta-metragem “Apneia”);
16h – Lançamento de livro – Guilherme Carraro com “O Formigueiro”;
17h – Conversa literária com Guilherme Gontijo Flores;
19h – Conversa literária, com Cristóvão Tezza;
20h – Show musical com Alexandre França;

Domingo (10/11)
11h – Conversa literária, com Cezar Tridapalli;
11h às 17h – Programação infantil:
                     – Ateliê gráfico (confecção de livretos com carimbos, colagem e cor);
– Instalação artística;
– Contação de histórias;
-Biblioteca na Praça;
13h às 14h30 – Samba no coreto;
14h – Oficina literária, com Trupe Periferia;
15h – Conversa literária, com Luci Collin;
16h – Cortejo literário no coreto, com Trupe Periferia;

A programação da FLIMO ocorre na sexta (8), a partir das 19h; no sábado (9) das 11h às 21h; e no domingo (10), das 11h às 17h.

Sobre a Gloriosa Produção Cultural – Ana Hupfer e Flavia Milbratz criaram a Gloriosa porque acreditam que a cultura pode gerar transformações significativas para as pessoas e para o mundo. As duas profissionais – que têm mais de uma década de experiência em diferentes iniciativas e instituições da produção cultural – criaram a empresa e guiam seu trabalho na criação de redes, de espaços de expressão e na promoção dos elementos afetivos da experiência cultural. Nossa crença é que a ação cultural deve estar no coração da renovação das cidades e na integração das pessoas, pois é preciso promover o que nos une. A Gloriosa, além da FLIMO – Festa Literária de Morretes, faz a produção e curadoria artística do Festival de Impacto; idealizou e realiza a Mamute – Feira Gráfica; a exposição Criaturas Fantásticas; a Nave – mostra circulante de cinema para crianças; e – entre outros projetos – irá realizar a Virada Sustentável Curitiba.

Serviço:
FLIMO – Festa Literária de Morretes
Data: 
8 a 10 de novembro
Local: Morretes (PR), nos espaços: Instituto Mirtillo Trombini / Casa Rocha Pombo / Coretos e Praças da cidade.
Horário: Sexta (8) – Abertura às 19h;
Sábado (9) – das 11h às 21h;
Domingo (10) – das 11h às 17h;
GRATUITO
Redes Sociais

Instagram: @Flimo
Facebook: @flimofestival
Evento oficial: https://www.facebook.com/events/2520900791339762/
Contato: gloriosacultural@gmail.com
Realização: Gloriosa Produção Cultural
Apoio: Morretes Convention & Visitors Bureau
Patrocínio: Sebrae – PR.

cayo vieira

 

No dia 8 de novembro, às 20h, a Curitiba Companhia de Dança, escola de dança da capital paranaense, apresenta o seu espetáculo inédito “Relações”, que aborda os relacionamentos humanos por meio da coreografia do carioca Carlos Laertes.

A apresentação, que é dividida em duas partes, promove a investigação coreográfica das relações dentro das grades dos academicismos clássicos e contemporâneos, observando a experiência do desejo humano pelo outro e o seu estado inicial, realçando o equilíbrio entre a libertação e a alienação.

No primeiro momento, o palco é dividido em dez estruturas metálicas, que espelham o ambiente de cada intérprete, passando uma ideia mais árida da superfialidade cotidiana, ambientando guetos, ruas e vielas.

Já no segundo ato, uma rampa de dois metros e meio de altura, muda a perspectiva dos dançarinos e do público, trazendo lembranças de várias relações, positivas ou negativas, e oferecendo relatos físicos sobre o desejo, encontros e dominações perante uma atmosfera de perigo.

“A linguagem do corpo é a primeira forma que o homem descobriu para se relacionar com o outro, seja uma pessoa, um animal ou um objeto. Relações nos cercam como labirintos, sejam elas curtas, duradouras, infindas ou até imperceptíveis. Relacionar-se é estar vivo”, comenta o coreógrado Carlos Laerte, que trouxe a ligação entre o cinema e a linguagem do corpo como fragmento do desejo, discussão e relação.

Os ingressos estão disponíveis com valores a partir de R$16 (meia) e podem ser adquiridos pelo Disk Ingressos ou diretamente na bilheteria do Centro Cultural Teatro Guaíra.

O espetáculo “Relações” é realizado pela Curitiba Companhia de Dança e dos Amigos Apoiadores da Dança de Curitiba. Parte da renda arrecadada será doada para o Pequeno Cotolengo.

**Estudantes, doadores de sangue, professores, portadores de necessidades especiais (PNE), portadores de câncer, pessoas acima de 60 anos e trabalhadores da indústria também são beneficiados com meia-entrada.

Ficha Técnica:
Direção Geral: Nicole Vanoni
Concepção, Dramaturgia e Coreografia: Carlos Laerte
Assistente de Direção: Claudio Fontan
Ensaiadores: Claudio Fontan e Eunice Oliveira
Professora: Viviane Cecconello
Professora da técnica de Alexander: Sheila Tramujas
Figurino: H-AL / Alexandre Linhares e Thifany F.
Cenário: Carlos Laerte
Trilha Sonora: Luciano Salvador Bahia
Edição Trilha Sonora: Dj Marcão
Execução cenográfica: Reinaldo Rocha e Élio Chaves
Iluminação: Fabia Regina
Produção: Bia Reiner
Realização: Curitiba Cia de Dança e Amigos e Apoiadores da Dança de Curitiba
Elenco/Curitiba Cia de Dança: Ane Adade, Clarissa Moura, Danilo Silvestre, Davi Mero, Edgar Marques, Frederick Nicolás, Hamilton Félix, Jaruam Miguez, Leonardo Silveira, Marcela Pinho, Nayara Santos, Nicole Vanoni, Patrich Lorenzetti, Rubens Vital, Tatiana Araújo.
Estagiário: Mario Gilberto

Sobre a Curitiba Cia De Dança – A Curitiba Cia de Dança foi criada em 2013 por Nicole Vanoni e um grupo de artistas de origem e experiências diferenciadas, que se aglutinam ao redor da ideia de experimentação, pesquisa e criação em dança contemporânea, e na diversidade de experiências com coreógrafos diferentes. A primeira obra coreográfica da Cia, “A Lenda das Cataratas”, com concepção de Rafael Zago, surgiu em 2014 e participou de festivais no Brasil e no exterior. Em 2017, a apresentação “Memória de Brinquedo”, uma vitoriosa parceria entre a Cia e o renomado coreógrafo brasileiro Luiz Fernando Bongiovanni, surgiu para retratar as preocupações e provocar o espectador em relação ao mundo moderno e tecnológico. Em 2018, a Curitiba Cia de Dança estreia, no Oeste do Paraná, o espetáculo “Cirandas” baseado nas cirandas de Villa-Lobos e, para o final do ano, prepara o espetáculo “Relações” do coreógrafo carioca Carlos Laerte.

Serviço:
Curitiba Cia de Dança apresenta “Relações”
Data: 8 de novembro (quinta-feira)
Horário: 20h
Local: Centro Cultural Teatro Guaíra ( Rua XV de Novembro, 971 – Centro)
Valor: R$16 (Meia ) / R$26 (inteira)
**Estudantes, doadores de sangue, professores, portadores de necessidades especiais (PNE), portadores de câncer, pessoas acima de 60 anos
e trabalhadores da indústria também são beneficiados com meia-entrada.

Realização: Curitiba Companhia de Dança e Amigos Apoiadores da Dança de Curitiba
Classificação: Livre
Evento oficial: https://www.facebook.com/events/2190588107934306/

foto cayo vieira

No dia 8 de novembro, às 20h, a Curitiba Companhia de Dança, escola de dança da capital paranaense, apresenta o seu espetáculo inédito “Relações”, que aborda os relacionamentos humanos por meio da coreografia do carioca Carlos Laertes.

A apresentação, que é dividida em duas partes, promove a investigação coreográfica das relações dentro das grades dos academicismos clássicos e contemporâneos, observando a experiência do desejo humano pelo outro e o seu estado inicial, realçando o equilíbrio entre a libertação e a alienação.

No primeiro momento, o palco é dividido em dez estruturas metálicas, que espelham o ambiente de cada intérprete, passando uma ideia mais árida da superfialidade cotidiana, ambientando guetos, ruas e vielas.

Já no segundo ato, uma rampa de dois metros e meio de altura, muda a perspectiva dos dançarinos e do público, trazendo lembranças de várias relações, positivas ou negativas, e oferecendo relatos físicos sobre o desejo, encontros e dominações perante uma atmosfera de perigo.

“A linguagem do corpo é a primeira forma que o homem descobriu para se relacionar com o outro, seja uma pessoa, um animal ou um objeto. Relações nos cercam como labirintos, sejam elas curtas, duradouras, infindas ou até imperceptíveis. Relacionar-se é estar vivo”, comenta o coreógrado Carlos Laerte, que trouxe a ligação entre o cinema e a linguagem do corpo como fragmento do desejo, discussão e relação.

Os ingressos estão disponíveis com valores a partir de R$16 (meia) e podem ser adquiridos pelo Disk Ingressos ou diretamente na bilheteria do Centro Cultural Teatro Guaíra.

O espetáculo “Relações” é realizado pela Curitiba Companhia de Dança e dos Amigos Apoiadores da Dança de Curitiba. Parte da renda arrecadada será doada para o Pequeno Cotolengo.

**Estudantes, doadores de sangue, professores, portadores de necessidades especiais (PNE), portadores de câncer, pessoas acima de 60 anos e trabalhadores da indústria também são beneficiados com meia-entrada.

Ficha Técnica:
Direção Geral: Nicole Vanoni
Concepção, Dramaturgia e Coreografia: Carlos Laerte
Assistente de Direção: Claudio Fontan
Ensaiadores: Claudio Fontan e Eunice Oliveira
Professora: Viviane Cecconello
Professora da técnica de Alexander: Sheila Tramujas
Figurino: H-AL / Alexandre Linhares e Thifany F.
Cenário: Carlos Laerte
Trilha Sonora: Luciano Salvador Bahia
Edição Trilha Sonora: Dj Marcão
Execução cenográfica: Reinaldo Rocha e Élio Chaves
Iluminação: Fabia Regina
Produção: Bia Reiner
Realização: Curitiba Cia de Dança e Amigos e Apoiadores da Dança de Curitiba
Elenco/Curitiba Cia de Dança: Ane Adade, Clarissa Moura, Danilo Silvestre, Davi Mero, Edgar Marques, Frederick Nicolás, Hamilton Félix, Jaruam Miguez, Leonardo Silveira, Marcela Pinho, Nayara Santos, Nicole Vanoni, Patrich Lorenzetti, Rubens Vital, Tatiana Araújo.
Estagiário: Mario Gilberto

Sobre a Curitiba Cia De Dança – A Curitiba Cia de Dança foi criada em 2013 por Nicole Vanoni e um grupo de artistas de origem e experiências diferenciadas, que se aglutinam ao redor da ideia de experimentação, pesquisa e criação em dança contemporânea, e na diversidade de experiências com coreógrafos diferentes. A primeira obra coreográfica da Cia, “A Lenda das Cataratas”, com concepção de Rafael Zago, surgiu em 2014 e participou de festivais no Brasil e no exterior. Em 2017, a apresentação “Memória de Brinquedo”, uma vitoriosa parceria entre a Cia e o renomado coreógrafo brasileiro Luiz Fernando Bongiovanni, surgiu para retratar as preocupações e provocar o espectador em relação ao mundo moderno e tecnológico. Em 2018, a Curitiba Cia de Dança estreia, no Oeste do Paraná, o espetáculo “Cirandas” baseado nas cirandas de Villa-Lobos e, para o final do ano, prepara o espetáculo “Relações” do coreógrafo carioca Carlos Laerte.

Serviço:
Curitiba Cia de Dança apresenta “Relações”
Data: 8 de novembro (quinta-feira)
Horário: 20h
Local: Centro Cultural Teatro Guaíra ( Rua XV de Novembro, 971 – Centro)
Valor: R$16 (Meia ) / R$26 (inteira)
**Estudantes, doadores de sangue, professores, portadores de necessidades especiais (PNE), portadores de câncer, pessoas acima de 60 anos
e trabalhadores da indústria também são beneficiados com meia-entrada.

Realização: Curitiba Companhia de Dança e Amigos Apoiadores da Dança de Curitiba
Classificação: Livre
Evento oficial: https://www.facebook.com/events/2190588107934306/

A programação musical de novembro na Mercadoteca vai terminar de forma muito especial. Nesta quinta-feira (24), Marcos Otávio vai interpretar músicas marcantes de um dos maiores cantores brasileiros de todos os tempos: Chico Buarque de Holanda. “A influência e originalidade de Chico atravessam gerações e a música dele nunca envelhece”, afirma Murilo Damasceno, produtor responsável pela programação musical do mercado gastronômico.

Segundo Murilo, a noite será uma oportunidade especial para curtir as composições icônicas do cantor brasileiro. “No repertório da noite estarão canções como Samba e Amor, As Vitrines, Vai Passar, Gota D’ Água e muitas outras, trazendo a poesia típica de Chico Buarque em cada melodia, em cada acorde”, destaca o produtor. Para curtir o evento – que é gratuito e começa por volta das 19h – basta chegar um pouco mais cedo, encontrar um lugar bacana no pátio da Mercadoteca e escolher uma comidinha enquanto curte o evento com os amigos e com a família.

Feira das Flores – Quem for quinta-feira (24) na Mercadoteca ainda vai se deparar, logo na entrada, com belíssimas flores a preços promocionais. É o Festival das Flores realizado pela Esalflores. As plantas são frescas, vindas diretamente de São Paulo para o box que fica no mercado gastronômico. É possível adquirir vasos, buquês, orquídeas, suculentas, flores de corte e até temperos, tudo com 20% de desconto e preço de atacado.

Sobre a Mercadoteca – Inaugurada em novembro de 2015, em Curitiba, a Mercadoteca tem sido uma das principais opções para quem busca o melhor da gastronomia local. Lá, encontram-se deliciosas opções de refeições, sobremesas e bebidas, além de pratos típicos e sanduíches, tanto para consumo no local quanto para a viagem. O pátio oferece acomodações confortáveis e descoladas, com espaço kids e muito charme. No estacionamento, são 90 vagas, com funcionamento gratuito das 10h às 11h30, e 30 minutos de cortesia nos demais períodos do dia. Além da gastronomia, a Mercadoteca oferece um amplo leque de itens de panificação, açougue, flores, entre outros. O empreendimento foi montado nos moldes dos mercados locais que são referência em todo o mundo, atraindo famílias e amantes da gastronomia para passeios de fim de semana, confraternizações, almoços rápidos no meio do expediente (combinando produtos das diferentes lojas) ou uma visitinha para comprar pão e aquele ingrediente “de última hora” que está faltando em casa. São muitas as opções “to go”!

www.mercadoteca.com.br

https://www.facebook.com/mercadoteca

https://www.instagram.com/mercadoteca/

jacques-figueras

Jacques Figueras com seus dois Grammys conquistados em 2013 e 2014, junto com o grupo de Jazz Trio Corrente (Foto: Tiago Novaes)

 

A Mercadoteca de Curitiba vai receber na próxima quinta-feira (10) o produtor musical Jacques Figueras, vencedor de dois Grammys com a banda Trio Corrente – um grupo paulista de Jazz que ele representa. O músico vai promover o primeiro encontro presencial na capital paranaense das 14h às 17h com artistas, músicos, compositores independentes e quem mais estiver interessado em criar e divulgar projetos musicais. Ao todo, são 30 vagas disponíveis e para se inscrever, basta mandar um e-mail para murilo.s.damasceno@gmail.com. O evento – que é organizado pelo produtor Murilo Damasceno e tem o apoio da Mercadoteca – será realizado no pátio do mercado gastronômico de forma descontraída e informal, sendo que os participantes também poderão conhecer e experimentar as opções que o espaço pode oferecer. O valor para participar do bate-papo é de R$10, que deve ser pago na própria quinta-feira (10).

Sobre Jacques Figueras – Nascido na França, Jacques Figueras mora em São Paulo desde 2005. Ele estudou música em universidades da França, Canadá e Estados Unidos. Já tocou como baixista com diversos artistas do Jazz e da MPB. Em 2011, o músico abriu sua produtora e dois anos depois faturou o Grammy junto ao Trio Corrente. No ano seguinte, ele e o grupo de Jazz faturaram novamente o Grammy, desta vez o latino. Em 2015, Jacques criou o blog O Assunto é Produção e o curso Novo Cenário Musical, nos quais ele apresenta técnicas, dicas, etapas e processos de produção musical que ele aprendeu ao longo da carreira.

 

Sobre a Mercadoteca – Inaugurada em novembro de 2015, em Curitiba, a Mercadoteca tem sido uma das principais opções para quem busca o melhor da gastronomia local. Lá, encontram-se deliciosas opções de refeições, sobremesas e bebidas, além de pratos típicos e sanduíches, tanto para consumo no local quanto para a viagem. O pátio oferece acomodações confortáveis e descoladas, com espaço kids e muito charme. No estacionamento, são 90 vagas, com funcionamento gratuito das 10h às 11h30, e 30 minutos de cortesia nos demais períodos do dia. Além da gastronomia, a Mercadoteca oferece um amplo leque de itens de panificação, açougue, peixaria, flores, entre outros. O empreendimento foi montado nos moldes dos mercados locais que são referência em todo o mundo, atraindo famílias e amantes da gastronomia para passeios de fim de semana, confraternizações, almoços rápidos no meio do expediente (combinando produtos das diferentes lojas) ou uma visitinha para comprar pão e aquele ingrediente "de última hora" que está faltando em casa. São muitas as opções "to go"!

 

www.mercadoteca.com.br

https://www.facebook.com/mercadoteca

https://www.instagram.com/mercadoteca/

3PfeHvp

 O Teatro Bom Jesus traz uma agenda repleta de arte, comédias e shows em abril. Um dos destaques fica por conta do espetáculo Uma Noite com o Senhor Barriga. O comediante Édgar Vivar estará em Curitiba no dia 24 de abril para um encontro emocionante com os fãs das séries Chaves e Chapolin.

 

O espaço terá também a exposição coletiva Imagens da Lito – em parceria com o Museu da Gravura Cidade de Curitiba e Fundação Cultural de Curitiba. Além do espetáculo Até que o Casamento nos Separe e os shows Queen & Bee Gees da Argentina Manu Gavassi.

 

 

Espetáculos

 

Exposição Imagens de Lito

Sobre: Em parceria com o Museu da Gravura Cidade de Curitiba e a Fundação Cultural de Curitiba, o Teatro Bom Jesus apresenta, no hall de entrada, a exposição coletiva Imagens da Lito, com obras de promissores artistas gravadores, trazendo a litografia para a contemporaneidade.

Quando: de 1.º de abril até 3 de junho, de segunda a sexta-feira, das 10h às 18h, e durante os eventos do Teatro Bom Jesus.

Classificação: Livre.

Ingressos: Entrada gratuita.

 

Até que o Casamento nos Separe

Sobre: Até que o Casamento nos Separe é um espetáculo que vai além da narrativa teatral, contando com o stand-up comedy e improviso, deixando a peça ainda mais interativa e inusitada. No roteiro estão todos os conflitos, momentos e fatos comuns na vida de um casal, que não precisa ser necessariamente casado, com fatores com os quais todos já se identificaram, identificam ou vão se identificar em uma vida a dois.

Quando: 9 de abril, sábado, às 21h.

Classificação: Livre.

Ingressos: R$ 50 + taxa de administração (inteira) e R$ 25 + taxa de administração (meia) no DiskIngressos.

 

Queen & Bee Gees da Argentina

Sobre: Um dos maiores tributos do Queen & Bee Gees da América Latina estará em Curitiba no dia 15 de abril. A banda impressiona pela fidelidade no som e a presença de palco. O grupo hermano destacou-se em sua carreira e hoje é uma das referências na América Latina.

Quando: 15 de abril, sexta-feira, às 20h30.

Classificação: Livre.

Ingressos: R$ 50 + taxa de administração (inteira) e R$ 25 + taxa de administração (meia) no DiskIngressos.

 

Manu Gavassi

Sobre: Depois de ficar quase dois anos longe dos palcos para se dedicar à carreira de atriz, a cantora Manu Gavassi apresenta o show de lançamento de seu mais recente trabalho, o EP Vício. Com uma sonoridade mais pop, trocando o violão pelas batidas eletrônicas, o EP alcançou rapidamente o posto de segundo mais vendido no iTunes. Aos 23 anos, Manu Gavassi é hoje uma das artistas de maior destaque de sua geração. Contabiliza mais de 70 milhões de visualizações em seu canal oficial no Youtube e cerca de 8 milhões de seguidores em suas redes sociais.

Quando: 16 de abril, sábado, às 19h.

Classificação: Livre.

Ingressos: R$ 50 + taxa de administração (inteira plateia) e R$ 25 + taxa de administração (meia plateia) no DiskIngressos.

 

Uma Noite com o Senhor Barriga

Sobre: Conhecido pelos bordões "tinha que ser o Chaves de novo!" ou o incansável "pague o aluguel!", o simpático e bonachão "dono da vila" contará histórias e curiosidades das gravações, cantará algumas músicas do seriado, exibirá vídeos exclusivos dos bastidores de Chaves e Chapolin e ainda responderá às perguntas da plateia. Os fãs terão a chance de ver o querido Senhor Barriga no palco, sendo interpretado por este grande ator que conquistou o Brasil há mais de 30 anos.

Quando: 24 de abril, domingo, às 19h.

Classificação: Livre.

Ingressos: em breve à venda pelo DiskIngressos.

 

 

 

Sobre a FAE Centro Universitário

 

A FAE Centro Universitário é reconhecida pela excelência do ensino e pela formação humanista. A instituição tem 59 anos de história e conta com unidades em Curitiba, São José dos Pinhais e Blumenau, sendo referência na formação de profissionais altamente qualificados. São oferecidos diversos cursos de graduação, pós-graduação com especializações na modalidade lato sensu e quatro programas de MBA, além de Educação Executiva, Educação a Distância e Programas In Company.

 

O Grupo Educacional Bom Jesus ainda conta com unidades de educação básica espalhadas pelo Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro. Também fazem parte do Grupo o Teatro Bom Jesus, a Viva Esporte Academia e o Lace Language Center.

 

Facebook: http://facebook.com/faeito

Twitter: http://twitter.com/faeito  

Blog: http://www.blogfaeito.com.br  

www: http:/www.fae.edu