Cinemaskope

SHOPPING MUELLER PROMETE INSPIRAR O PÚBLICO COM O PROJETO “EXPERIMENTANDO DIFERENÇAS”

18 de março de 2014

Crédito_Sergio Dutti (4)

 

SERGIO DUTTI

Imagens do premiado fotógrafo Sérgio Dutti que integram a exposição fotográfica “Caravana Vencedores”, no Shopping Mueller

Evento estreia nesta quinta-feira e receberá a visita de 10 atletas paralímpicos medalhistas

 

Superar os limites do próprio corpo é algo que os atletas paralímpicos provam fazer muito bem. Eles não só surpreendem com a audácia, como também são grandes fontes de inspiração. A partir de quinta-feira (20), o Shopping Mueller dará a oportunidade para que os visitantes do mall sintam na pele, qual a sensação das conquistas alcançadas por esses heróis. O público deverá se surpreender com o projeto “Experimentando Diferenças”, que chega ao Shopping Mueller com o intuito de sensibilizar os visitantes para os Jogos Paralímpicos de 2016, que serão sediados no Brasil. O projeto acontecerá até o dia 30, no Piso Cinemas, com entrada gratuita.

 

Em uma arena cenográfica de 100 m², o público poderá vivenciar as mesmas sensações e limitações experimentadas por atletas paralímpicos. Marcar um gol de olhos vendados com o auxílio de uma bola sonora ou praticar corrida e basquete em cadeira de rodas são algumas das atividades que o público poderá experimentar. Já para as crianças, a experimentação ficará por conta de jogos com temáticas de esportes paralímpicos, especialmente desenvolvidos para o evento. Um grupo formado por 16 monitores auxiliará os participantes nas atividades.

 

O projeto é patrocinado pela Caixa Loterias e tem a chancela do Comitê Paralímpico Brasileiro, contando, ainda, com o apoio técnico da Associação Niteroiense de Deficientes Físicos (Andef), considerada uma das maiores entidades de pessoas com deficiência física do mundo.

 

Experiências visuais

Além da vivência prática, o espaço abrigará a exposição fotográfica “Caravana Vencedores”, composta por 60 imagens capturadas pelo premiado fotógrafo Sérgio Dutti, durante os Jogos Paralímpicos de Londres, realizados em 2012. As fotos retratam a preparação e o desempenho dos atletas brasileiros em Londres durante os jogos. Além das fotos, os visitantes também poderão assistir vídeos produzidos durante a competição.

 

Participações ilustres

O evento também irá proporcionar a oportunidade para que o público troque impressões diretamente com os atletas paralímpicos. Todos os dias, das 16h às 20h, o projeto receberá a visita ilustre de medalhistas, que irão interagir com os visitantes e participarão de sessões de autógrafos. Dez atletas passarão pelo Shopping Mueller, são eles: Adriá Santos, Alan Fonteles e Jovane Guissone, no dia 20; Eliseu dos Santos, nos dias 21 e 22; Ronaldo Souza, nos dias 22 e 23; Carlos Farrenberg, nos dias 23 e 24; Claudiney Santos, nos dias 25 e 26; Daniel Mendes, nos dias 27 e 28; Sérgio Vida e Yeltsin Jacques visitam juntos, nos dias 29 e 30.

 

CONHEÇA UM POUCO MAIS SOBRE A HISTÓRIA DE CADA ATLETA PARALÍMPICO E SUAS CONQUISTAS:

 

Adriá Santos

Deficiente visual devido a uma retinose pigmentar, só entre medalhas paralímpicas, Parapan-Americanos e mundiais, Ádria Santos já tem mais de 20, número que a coloca entre as maiores atletas brasileiras de todos os tempos.

 

Alan Fonteles

Um dos maiores talentos jovens do Brasil, Alan Fonteles teve de amputar as duas pernas ainda bebê, devido a uma sepsemia gerada de uma infecção intestinal. Atualmente com 20 anos, tem diversos títulos nacionais, além de medalhas paralímpicas e mundiais. Alan fez história nas Paralimpíadas de Londres: venceu o mito Oscar Pistorius e ganhou o inédito ouro para o Brasil nos 200m T44. O paraense corre com próteses de fibra de carbono e é considerado um dos melhores velocistas do mundo. Atualmente é o recordista mundial nos 100m e 200m.

 

Carlos Farrenberg

Por conta de uma toxoplasmose congênita, Farrenberg perdeu parte da visão. Aos seis meses de idade sua mãe já o levava para frequentar as aulas de natação e em 1988 ele iniciou o aprendizado das técnicas até se tornar um atleta profissional. Até os 15 anos de idade competiu com jovens sem nenhuma deficiência e somente aos 24 anos começou a disputar competições de paranatação. Além de nadar, o atleta sempre praticou mergulho, canoagem e surf.

 

Claudiney Santos

Um acidente de moto em 2005, fez com que Claudiney lesionasse a perna esquerda. No hospital o ferimento se agravou e o mineiro precisou amputar o membro por completo. No mesmo ano ele foi convidado a conhecer o Atletismo adaptado e passou a praticá-lo no ano seguinte. Halterofilista antes do acidente, Claudiney se identificou com as provas de Lançamento de Dardo, Disco e Arremesso de Peso.

 

Daniel Mendes

Em 2002, Daniel sofreu um grave acidente de trabalho provocando perda total da visão. Em 2005, a convite de sua professora, ele conheceu o atletismo, em que logo se destacou representando o Brasil no Mundial da IBSA em 2007 e nas Paralimpíadas de Pequim em 2008. Nos Jogos Parapan-Americanos de 2011, o capixaba conquistou ouro nos 400m e prata nos 100m e 200m. Em Londres 2012, Daniel foi prata nos 200m e no Mundial em Lyon 2013, ouro nos 400m e bronze nos 200m. Atualmente Daniel Mendes corre com o seu guia Heitor Sales.

 

Eliseu dos Santos

Devido a uma distrofia muscular, Eliseu perdeu gradativamente os movimentos dos membros inferiores. Na infância, antes da paralisia total, chegou a praticar futebol. Aos 29 anos, começou a praticar Bocha.

 

Jovane Guissone

Primeiro brasileiro a conquistar medalha numa competição internacional da modalidade, Jovane começou na esgrima em 2008. O gaúcho, que perdeu o movimento das pernas ao ser atingido por um tiro ao ter reagido a um assalto, em dezembro de 2004, conquistou a inédita medalha de ouro em sua primeira Paralimpíada, em 2012, em Londres.

 

Ronaldo Souza

Ronaldo era triatleta e estava treinando Ciclismo quando foi atropelado e ficou tetraplégico, aos 18 anos. Ainda assim não se abateu. Conheceu o tênis de mesa e começou a competir em 2009 e já coleciona três medalhas em Parapan-Americanos.

 

Sérgio Vida

O tiro esportivo entrou na sua vida aos 8 anos de idade, quando ganhou de seu pai uma carabina de ar comprimido, para atirar em latinhas no quintal. Porém, em 1998, sofreu acidente de carro que o deixou paraplégico. Sérgio só voltou a atirar dez anos depois quando foi convidado para substituir um integrante da equipe que iria competir na Coréia e, desde então, não parou mais. Ganhou medalha de ouro nos Jogos da IWAS na pistola sport, sua atual modalidade, e também o 1º lugar nos Estados Unidos, em 2010, e a liderança do ranking mundial em 2011.

 

Yeltsin Jacques

Yeltsin teve uma má formação na retina de nascença que foi descoberta com apenas seis meses de vida. Começou no atletismo com 16 anos, devido a um amigo que precisava de guia, então se ofereceu para ajudar. O esporte para ele é uma filosofia de vida, o mesmo acorda pensando em correr e treinar para ter bons resultados. 

 

 

 Serviço:

“Experimentando Diferenças”

Local: Shopping Mueller | Avenida Cândido de Abreu, 127 – Centro Cívico – Piso Cinemas

Data: 20 a 30 de março

Horários:

·        Segunda-feira a sábado: 10h às 22h

·        Domingos e feriados: 11h às 22h

Telefone: 41 3074-1000

Informações: www.shoppingmueller.com.br

Facebook: www.facebook.com/MuellerCtba

Twitter: twitter.com/muellercwb

Instagram: @muellercwb

 

Você pode gostar também