Cinemaskope

Sessão debate aborda realidade dos agentes penitenciários

Pinterest LinkedIn Tumblr

Em cartaz nos cinemas de todo o Brasil, o filme “A Gente”, de Aly Muritiba, está levantando a discussão sobre o papel dos agentes penitenciários. No último sábado (16), uma sessão debate realizada no Cineplus Jardim das Américas trouxe o tema à tona, em  um momento rico para discutir o sistema prisional no país.

 

Gravado em 2012, o filme só chegou este mês  nas salas de cinema graças ao incentivo da Ademilar Consórcio de Investimento Imobiliário, via Mecenato Municipal. O “A Gente” integra o Circuito Cultural Ademilar, que está fomentando diferentes iniciativas de vários áreas como teatro, música, literatura e cinema em Curitiba.

 

Aly Muritiba, roteirista e diretor do filme, trabalhou por sete anos como agente penitenciário e, depois de pedir licença não remunerada da função para se dedicar ao estudo do cinema, voltou para a penitenciária ingressando na equipe Alfa. “Trabalhei por seis meses para ganhar confiança da equipe, consegui autorização para fazer as filmagens e a maioria das cenas filmei sozinho para garantir a segurança da equipe”, explica Muritiba.

 

Realidade

 

O filme conta a rotina da vida na penitenciária. Um trabalho onde a maior dificuldade é a burocracia e a má política de gestão, e não os presos como muitos podem imaginar.  “O filme mostra o invisível, mexe com uma perspectiva diferente ao retratar a vida de um personagem, o Jeferson, que como inspetor, é o elo de ligação entre a burocracia do sistema e o preso, que hoje em nosso sistema não tem nenhuma política de ressocialização”, destaca o professor de direito e advogado criminalista, José Carlos Portela,convidado para a sessão debate.

 

A presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Paraná,  Petruska Niclevisk Sviercoski, presente na sessão, confessou que ficou emocionada em ver no cinema a realidade do dia a dia dos agentes. “É muito bom ver que a arte vai transmitir para a comunidade a realidade do nosso trabalho que é considerada pela Organização Internacional do Trabalho  a segunda profissão mais perigosa do mundo, só perdendo para os mineradores. O cinema consegue despertar um sentimento que os noticiários não conseguem”, revela.

 

O filme “A Gente” foi produzido pela Grafo Audiovisual e está sendo distribuído pela Olhar Distribuição e fica em cartaz esta semana nos cinemas de todo o Brasil. Em Curitiba o filme está nas salas do Cineplus Água Verde, Cine Guarani, Cinemateca de Curitiba e Cineplus Jardim das Américas.

Comentários estão fechados.