Cultura

SÉRIE INÉDITA RETRATA O PATRIMÔNIO NAVAL TRADICIONAL BRASILEIRO

Pinterest LinkedIn Tumblr

ademir do nascimento

  • Embarcações centenárias, rotinas de mestres carpinteiros, polêmicas e curiosidades são alguns dos assuntos abordados em “Feito Torto Pra Ficar Direito”, que o canal Travel Box Brazil exibe a partir do dia 2 de maio
  • Versão acessível da série, com audiodescrição e Libras, será disponibilizada no Youtube

 

O Brasil é o país mais rico do mundo em diversidade de barcos tradicionais em madeira, e o universo da construção artesanal de embarcações é tema de uma série inédita que estreia no canal Travel Box Brazil no sábado, dia 2 de maio, com apresentação do navegador Amyr Klink.

 

Em “Feito Torto Pra Ficar Direito” o telespectador acompanhará a história de mestres carpinteiros que dedicam suas vidas à criação e manutenção de barcos tradicionais em madeira. Eles travam verdadeiras lutas para exercer sua atividade e repassar conhecimentos recebidos de seus antepassados para novas gerações. Ainda há uma grave incompreensão sobre a importância cultural e socioeconômica do trabalho desses brasileiros para o país.

 

Ao longo de seus dez episódios, a série visita mestres carpinteiros navais e seus locais de ofício (estaleiros) em diversos cantos do Brasil, e apresenta a vida em torno do patrimônio naval brasileiro.

 

No primeiro episódio, o telespectador conhecerá a história do mestre José Vernetti, que se passa no Rio Grande do Sul. Desde criança ele ajudava o pai, mestre Orlando Vernetti, que àquela altura já havia construído mais de 2.500 barcos. Em 1995, José passou a tocar seu próprio estaleiro e, em 2015, se formou em Engenharia Mecânica para se especializar ainda mais na profissão. Hoje ele repassa seus conhecimentos no curso de Construção e Manutenção de Embarcações no estaleiro escola da FURG (Universidade Federal do Rio Grande), unidade de ensino capitaneada por Vernetti, juntamente com o museólogo Lauro Barcellos, para ensinar a arte da construção naval à jovens aprendizes.

 

Percorrendo regiões litorâneas de Sul a Norte do Brasil, adentrando o Rio São Francisco, a série mostra também diversos outros aspectos relacionados ao tema, como histórias de navegadores e pescadores, embarcações centenárias, curiosidades e até mesmo as polêmicas enfrentadas pelos mestres carpinteiros navais, principalmente por conta da dificuldade de obtenção de matéria-prima. “A madeira utilizada na construção de uma embarcação não é uma árvore que morre. Essa árvore vai dar vida a uma canoa e vai sustentar uma família por 30 anos”, elucida Luiz Felipe Andrès, diretor do Estaleiro Escola do Maranhão. Em Paranaguá, litoral do Paraná, os caiçaras ensinam que a madeira é sempre utilizada com sabedoria e nesse terceiro episódio é possível ver um exemplo. Um tronco que está apodrecendo por dentro e prestes a cair, foi cortado e será utilizado na construção de uma “canoa de um pau só” com técnicas utilizadas há mais de 300 anos na região.

O telespectador terá a oportunidade de ‘navegar’ no “Sombra da Lua”, lendário saveiro tombado pelo IPHAN, e conhecer a luta apaixonada da ONG Viva Saveiro pela restauração e preservação dos mestres saveiristas da Bahia (episódio quatro). Também será apresentada a história da “Canoa Lusitânia”, lendária embarcação tombada pelo IPHAN, utilizada por Lampião. Na Amazônia, numa região onde as estradas são os rios, a importância da construção naval tradicional se vê em todas as atividades. No episódio nono a série “Feito Torto Pra Ficar Direito” mostra o trabalho dos grandes mestres carpinteiros navais na região, onde cada morador tem um estaleiro em seu quintal.

 

No último episódio da série, a produção passa por estaleiros ainda ativos em Portugal para retratar a história da construção naval tradicional daquele país e traçar relações com o Brasil nas técnicas utilizadas e nas embarcações criadas. Neste, é narrado o trabalho do último mestre carpinteiro situado na Vila do Conde, que está na luta para documentar e sistematizar a técnica de construção de Naus e Caravelas.

 

“Documentar os barcos tradicionais do Brasil e seus mestres foi a forma que encontramos para criar uma resistência ao desaparecimento desse painel de conhecimentos, práticas e personagens que configuram o patrimônio naval tradicional do Brasil”, afirmam Bhig Villas Bôas e Vanessa Leal, diretores da série e sócios da SetCom, produtora da série.

 

Feito Torto Pra Ficar Direito estreia a partir das 18 horas do dia 2 de maio no canal Travel Box Brazil. No dia seguinte à exibição dos episódios, às 18h, estes serão disponibilizados em versão acessível com audiodescrição e Libras no canal da SetCom no Youtube.

 

A obra é uma produção SetCom, coprodução Ocean Films e produção associada Novelo Filmes. Conta com patrocínio da Portonave e com recursos do Fundo Setorial do Audiovisual. Apoio Institucional IPHAN.

 

Clique AQUI para acessar a lista de operadoras de TV por assinatura que oferecem o Travel Box Brazil em seu line-up.

 

SERVIÇO

Estreia da série “Feito Torto Pra Ficar Direito”

Primeira Exibição: 02/05/2020 às 18 horas

Canal: Travel Box Brazil

Reprises: quartas-feiras às 6h e quintas-feiras às 12h

Duração de cada episódio: 42 minutos

Número de episódios: 10

Classificação indicativa: Livre

Comentários estão fechados.