Cinemaskope

Série de concertos com obras de Brahms e Prokofiev encerra-se com apresentação no Paiol

7 de janeiro de 2015

Temas - foto Lucas Oliveira

Repertório para cordas e sopro será apresentado no sábado, 10 de janeiro, dentro da programação da Oficina de Música

 

Durante 2014, o projeto "Temas: Obras para cordas e sopro" levou semelhanças entre as obras do compositor alemão Johannes Brahms e o russo Serguei Prokofiev para os palcos de Curitiba e do Paraná. A série chega agora ao fim com um concerto neste sábado, dia 10 de janeiro, às 18h30, no Teatro do Paiol. A apresentação faz parte da programação da Oficina de Música de Curitiba.

 

Separados por fronteiras e por alguns anos de vida, Brahms e Prokofiev apresentaram alguma semelhança em suas obras durante um período. É isso que o quinteto formado por Maria Ester Brandão (primeiro violino), Alexandre Brasolim (segundo violino), Alexandre Razera (viola), Maria Alice Brandão (violoncelo) e Marcelo Oliveira (clarineta) reuniu no programa, que conta com "Quinteto para clarineta e cordas opus 115", de Brahms, e "Abertura sobre temas hebreus", de Prokofiev.

 

"Queríamos aproveitar os termos de importância e relevância das músicas e dos participantes do projeto", explica o clarinetista do projeto, Marcelo Oliveira. As peças estrategicamente se complementam e têm formações quase idênticas, com solos de clarineta, violinos, viola e violoncelo. Ao quinteto de cordas e sopro soma-se um piano na composição do autor russo, executado por Rodrigo Oliveira.

 

"Juntar as duas obras foi natural pela qualidade delas e também pela formação parecida", acrescenta o clarinetista. A obra de Prokofiev, mais festiva, fecha o programa que inicia em um mergulho de sensações dramáticas e escuras preparadas por Brahms.

 

Quinteto para clarineta e cordas opus 115

Obra do compositor alemão Johannes Brahms (1833 – 1897), foi uma das suas últimas composições, escrita em 1891, época em que se encantou pela clarineta e voltou a compor após anunciar sua aposentadoria um ano antes. É uma de suas fases mais festejadas. Tem um quê de melancolia e um toque cigano em partes mais lentas.

 

Abertura sobre temas hebreus

Composição do russo Serguei Prokofiev (1891 – 1953), uma das figuras mais importantes da música soviética e que foi um dos mais celebrados compositores do século 20. Escreveu a peça em 1919, durante uma visita aos Estados Unidos. A obra contempla uma sonoridade com traços e elementos judaicos, encerrando o programa para cima.

 

O projeto

"Temas: Obras para cordas e sopros" foi contemplado pelo Mecenato da Fundação Cultural de Curitiba e conta com o patrocínio do Banco do Brasil. Com produção Bruna Bayley, o projeto tem apoio da Sanepar, Museu Oscar Niemeyer, Padaria América e L'Osteria Concheta.

 

Serviço:

"Temas: Obras para cordas e sopro"

10 de janeiro, sábado, 18h30

Teatro do Paiol – Praça Guido Viaro, s/n

R$ 10 e R$ 5

Você pode gostar também