Cinemaskope

Nova tecnologia com visão 3D faz cirurgias de alta complexidade

Pinterest LinkedIn Tumblr

Equipamento garante maior estabilidade dos movimentos e magnificação de imagem

 

Termina nesta quinta-feira (30 de abril) o prazo do Hospital Erasto Gaertner, referência nacional em oncologia, para captar recursos para a implantação de um Sistema Cirúrgico Robótico. O projeto é viabilizado pelo Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (PRONON) e a arrecadação é captada por deduções do imposto de renda, tanto de pessoas físicas quanto jurídicas, que podem ser de até 1% do imposto retido ou devido.

Com o novo sistema, o Erasto Gaertner será o único do Paraná e Santa Catarina a oferecer o serviço para pacientes do SUS, sendo 2% crianças e adolescentes, 42% idosos e 56% adultos entre 19 e 59 anos. A tecnologia do Da Vinci, nome dado ao sistema usado, existe há mais de 15 anos a partir de uma iniciativa militar que tinha como objetivo realizar cirurgias à distância, sem que o cirurgião se deslocasse ao campo de batalha. Em hospitais, o cirurgião opera um console que está na própria sala de cirurgia, a poucos metros do paciente.

 

Vantagens da cirurgia robótica

 

Nos últimos 40 anos, houve aumento significativo do Índice de Envelhecimento da população de Curitiba (dados do IPPUC, 2010). Além disso, a incidência maior do câncer em pessoas idosas justifica a preocupação da instituição com a  necessidade de conseguir um método comprovadamente eficaz e pouco invasivo.

Segundo Murilo de Almeida Luz, médico especializado no Tratamento de Tumores Urológicos com Habilitação Clínica para Cirurgia Robótica, as principais vantagens do Da Vinci são a visão 3D, que proporciona uma ótima noção de profundidade durante os procedimentos, além de instrumentos articulados e bastante delicados; maior estabilidade dos movimentos e magnificação de imagem. “Estas vantagens resultam em cirurgias mais precisas, com menor sangramento e recuperação mais rápida.”

 

Como funciona

 

Pinças especiais são posicionadas na cavidade abdominal, torácica ou na cavidade oral do paciente através de orifícios semelhantes às da laparoscopia convencional. Esses instrumentos são então conectados ao sistema robótico responsável pela movimentação e,  em outro console bastante ergonômico, o cirurgião manipula o que podemos chamar de manches, que coordenam todo o ato operatório, pinças, cautérios e a câmera.

 

Cirurgias realizadas pelo sistema robótico

 

Diversos são os tipos de cirurgias realizadas com a tecnologia Da Vinci, entre elas urológicas, ginecológicas, colecistectomias, cardíacas, hérnias, de cavidade oral e faringe ou relativas à obesidade. Ainda há escassez de trabalhos que comparem diretamente essa nova técnica com técnicas convencionais; principalmente em cirurgias mais complexas, os benefícios estão gradativamente sendo demonstrados.

 

Profissionalização

 

Para ampliar a oferta de cirurgias, o projeto do Hospital Erasto Gaertner também tem como objetivo a capacitação de uma equipe, pois é necessário um treinamento específico nesta tecnologia para que o cirurgião seja habilitado a operar o equipamento com segurança. Para o especialista do Erasto Gaertner, o sistema necessita de cirurgiões auxiliares e instrumentadores durante o procedimento. “É importante entender que este “robô” não executa movimentos, apenas repete com maior precisão os movimentos executados pelas mãos do cirurgião”, explica Murilo Luz.

 

Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (41) 3361-5266 ou 0800 643 4888, e no portalwww.erastogaertner.com.br/pagina/pronon

 

Hospital Erasto Gaertner

R. Dr. Ovande do Amaral, 201 – Jardim das Américas

CEP 81.520-060 – Curitiba/PR

Telefone: (41) 3361-5135 e 0800-643-4888

www.erastogaertner.com.br

Comentários estão fechados.