Cinemaskope

MÃES, AMIGAS E ATLETAS TROCAM CORRIDA DE RUA POR DESAFIO NAS MONTANHAS

18 de janeiro de 2016

Ana e Ju_fimdecorrida

Ana Bernardi e Juliana Tessari Giovannetti irão revezar  na El Cruce, ultramaratona mais emblemática das Américas, em fevereiro de 2016.

O ano de 2015 foi um divisor de águas na vida das amigas Ana Bernardi, triatleta amadora, e Juliana Tessari Giovannetti, atleta amadora. As duas mães, que descobriram há poucos anos o prazer de participar de corridas de rua, decidiram apostar numa modalidade relativamente nova, principalmente para mulheres, as corridas de montanha. “Trail Run é uma modalidade de esportes de aventura, com provas mais longas e mais duras, que tem como principal atrativo correr em meio à natureza com a característica de competição saudável”, explica Juliana.

As corridas de aventura e revezamento aproximaram as amigas que resolveram exercitar a liberdade da corrida em outras paisagens e encarar o desafio da primeira ultramaratona, a famosa El Cruce, que atravessa a cordilheira entre a Argentina e o Chile. “Nossa estreia será na corrida mais emblemática das Américas. Vamos revezar 100 km em três dias”, afirma Ana.

Juliana conta que as duas começaram a dedicar algumas horas na semana para conseguir conciliar o fascínio pelo esporte com a maternidade, o casamento e o trabalho. “O momento da corrida é sagrado, principalmente quando conseguimos associa-lo a um ambiente mais sereno. A disciplina para dar conta de tudo parte das primeiras horas da manhã”, explica. “Sem contar que a vida de uma mãe já é uma grande correria, mesmo sem a corrida. Então, por que não inclui-la na agenda para sair da rotina?”, justifica.

A atividade também melhorou a autoestima da triatleta Ana Bernardi depois da gestação que provocou mudanças no corpo. “A corrida se tornou essencial na minha vida após a gravidez da Lorenza, que hoje está com quatro anos”, revela. “Mesmo me exercitando durante toda a gestação, engordei 16 quilos concentrados na barriga. Um mês depois da cesariana voltei a treinar e, quando o bebê estava com dois meses, corria com ela no carrinho”, revela.

O início de uma dupla – Mother´s Trail

A primeira maratona de montanha que Ana e Juliana participaram juntas aconteceu em Campo Largo, NaVentura Trail Marathon Ouro Fino (42km revezamento), em abril de 2015. “Eu já tinha participado de uma prova em Tijucas do Sul – Morro do Araçatuba e curti muito a energia do cenário e dos participantes”, conta Ana. “Foi a minha estreia na montanha e logo que comecei achei que nunca mais iria repetir essa experiência, mas curti muito revezar com a Ana porque na montanha conta muito o trabalho psicológico. A prova é de resistência e corri o tempo todo em estado de alerta, sem saber o que esperar a cada passo”, recorda Juliana.

Desde março de 2015, a frequência de treinos da dupla é diária e acontece sob a orientação de uma assessoria esportiva. “Temos planilhas diferentes porque temos histórias diferentes. Eu tenho asma, por exemplo, e pratico natação para melhorar minha performance e faço bike para manter o equilíbrio, mas a Ana foca no triathlon com objetivo de competição. Treinamos juntas todo final de semana fora da cidade, em cenários que se assemelhem ao percursos que faremos no El Cruce”, explica Juliana.

Nesse intervalo de tempo, a família de Ana Bernardi marcou presença no XTerra Ilha Comprida, considerado o maior festival de esporte outdoor do planeta. “Foi um sonho realizado que pude dividir com meu marido e filha. Meu marido nadou por mim e a minha filha fez seus primeiros 50 metros no Kids. Fiquei muito orgulhosa, porque ela sempre nos viu competir. A Lorenza começou a nadar com seis meses e com quatro anos já pedalava sem rodinhas”, comemora. Enquanto isso, Juliana fez sua estreia nos 25 km no Trail dos Ambrósios, em Tijucas do Sul.

Rotina de treinos

“Recebemos muitos elogios sobre a nossa performance desde que iniciamos. Nosso técnico nos assegurou que temos chance de completar a prova e, desde então, nossa dedicação aumenta cada dia mais”, conta Juliana. Um canal aberto nas redes sociais, Facebook e Instagram, o Mother´s Trail, também mostra a rotina de treinos, as provas e o dia a dia da dupla. “É gostoso responder a dúvidas de outras mães sobre como começamos, como driblamos nossa agenda, qual a nossa alimentação e cuidados que tomamos para as provas”, compartilha Juliana.

Correndo com propósito

O desafio do El Cruce deve ser apenas a primeira grande prova da dupla Ana e Juliana nas montanhas. Inspiradas pelo ritmo intenso de treinos, as duas estabeleceram um calendário de provas audacioso e internacional, que soma 11 provas em 12 meses. “Os oito países selecionados, além do Brasil, foram definidos após um mapeamento de locais onde existem comunidades que precisam de desenvolvimento auto-sustentável, onde a organização das provas tenha estabelecido um compromisso social”, justifica Ana Bernardi.

 

Como a Organização das Nações Unidas (ONU) e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) anunciaram que 2015 foi considerado o Ano Internacional da Luz, a sugestão da dupla consiste em levar energia para essas comunidades – asilos, orfanatos, escolas e postos de saúde. “Segundo Juliana, as montanhas são locais eolicamente sensíveis. E na hora surgiu a ideia de ´Energia para correr, Energia para Viver´, a filosofia que escolhemos para o Mother´s Trail”, detalha Juliana Tessari Giovannetti.

 

A participação da dupla nas provas internacionais está condicionada a conquista de patrocínio. Se tudo der certo, a esse respeito, Ana e Juliana passarão em 2016 pela África, Chile, China, Itália, República Dominicana e Turquia, com intervalos no Brasil. “Queremos promover o desenvolvimento local de comunidades carentes”, antecipa Ana.

Você pode gostar também