Cinemaskope

GIPZ em abril: explicando sobre as causas e os exames médicos para o diagnóstico do zumbido

4 de abril de 2014
As palestras serão ministradas por Rita Guimarães, otorrinolaringologista e Izabella Pedriali de Macedo, fonoaudióloga.

Na primeira sexta-feira de abril, dia quatro, o Grupo de Informação para Pessoas com Zumbido (GIPZ) de Curitiba tem sua segunda reunião de 2014. Formado pela equipe de especialistas: Rita de Cássia Cassou Guimarães, médica otorrinolaringologista e ortoneurologista, Izabella Pedriali de Macedo, fonoaudióloga, Vivian Pasqualin, fisioterapeuta, Daniela Matheus, psicóloga e Gerson Kohler, ortodontista, os encontros, realizados sempre nas primeiras sextas-feiras do mês – de março a dezembro – têm como objetivo esclarecer, explicar e tirar todas as dúvidas possíveis quando o assunto é o zumbido.

No encontro de abril, as palestrantes serão a coordenadora do GIPZ, Dra. Rita Guimarães, e a fonoaudióloga Izabella Pedriali, que trabalharão o tema “Causas, exames médicos e audiológicos para o diagnóstico do zumbido”. Segundo Rita, o ouvido possui uma estrutura delicada, composta por pequenas estruturas e células que não se recompõem, e se houver alguma lesão, a consequência será a perda de audição – principal causa de zumbido.

A coordenadora do grupo lembra que, apesar de o zumbido ser um sintoma – e não uma doença, – ele tem mais de 200 causas conhecidas e muitas vezes é preciso uma equipe interdisciplinar (como a do GIPZ) para tratá-lo da melhor forma. “Oferecemos informações científicas, atualizadas e de fácil compreensão opara ajudar as pessoas. Quando os pacientes têm uma frequência nos encontros, acham um lugar para se expressarem e entenderem melhor o que os aflige”, comenta Rita, que diz que o zumbido pode ser consideravelmente melhorado e em determinados casos até eliminado com o tratamento adequado, – e é perfeitamente possível obter uma boa qualidade de vida seguindo as orientações do GIPZ.

As reuniões do GIPZ

As reuniões têm uma duração médica de duas horas. Na primeira hora são feitas as palestras já programadas pelos especialistas do grupo, enquanto a segunda hora é dedicada ao esclarecimento de dúvidas dos presentes assim como a troca de experiências entre eles.

É importante ressaltar que ter conhecimento sobre o que se passa com a sua própria audição é fundamental para aumentar a sua qualidade de vida. “Com as informações necessárias, os pacientes percebem que o zumbido é um sintoma que tem tratamento e não oferece riscos à saúde. Descobrem que ele não causa surdez, não afeta problemas psicológicos e nem desencadeia qualquer enfermidade. Assim como a febre, o zumbido indica que algo está errado no organismo e é este agente que devemos eliminar”, conclui a coordenadora.

As reuniões acontecem todos os meses na primeira sexta-feira do mês (nesse caso, dia quatro de abril), no 5º andar do Anexo B do Hospital de Clínicas da UFPR, em Curitiba. Os encontros têm início as 14 horas e a entrada é franca.

O telefone de contato para participar das reuniões e tirar demais dúvidas é o (41) 3225-1665.

Você pode gostar também