Cultura

Elizabeth Titton lança ´Muirapiranga´, livro sobre série de esculturas monumentais

Pinterest LinkedIn Tumblr

foto padu palmério

Projeto batizado com o nome de uma espécie de árvore amazônica esteve em cartaz na Funarte SP de 2019 a 2020. Livro será lançado em Curitiba no dia 05 de março.

Curitiba, março de 2020 – Quando alguém se depara com uma escultura de Elizabeth Titton, obrigatoriamente se encontra também com o mundo. As dimensões monumentais de suas obras convidam o espectador a estar presente, a sair do virtual e vivenciar o momento. Sua mais recente exposição, “Muirapiranga”, realizada em São Paulo, acaba de ganhar um livro, de mesmo nome, com fotos e textos. A publicação será lançada no dia 05 de março, a partir das 16h30, na The Kettle, em Curitiba, cidade onde a artista vive desde os oito anos de idade.

“Muirapiranga” foi o projeto escolhido pela Funarte SP para inaugurar um novo espaço da instituição. Titton criou 21 obras impactantes e de grande porte, variando de 1m a 4m de altura, que ocuparam um espaço de 600m2. Portais e obeliscos criados em aço corten e cortados a laser formam um tributo à árvore amazônica de madeira vermelha, similar ao Pau-Brasil, que impactam diante da grandiosidade e permitem ao público uma vivência única pela sua floresta de aço.

O projeto teve uma preocupação especial com a acessibilidade. Pisos táteis, esculturas em miniatura, etiquetas em braille e um grupo de monitores possibilitaram que pessoas com dificuldade de visão pudessem vivenciar a exposição através do toque. O livro tem textos da artista e pesquisadora, Bernadette Panek, além de imagens de Celso A. Oliveira, Diego Souza, Geraldo Hoffmann Jr., José Ernesto Passos, Leo Eloy, Marcos Böhler e Padu Palmerio. As ilustrações possuem QR codes para acesso à audiodescrição.

O lançamento do livro de uma exposição tão importante é a mais recente realização de uma carreira de 40 anos dedicada à escultura. Elizabeth Titton tem obras expostas em espaços públicos da Suíça, além de várias cidades pelo Brasil. Suas esculturas já rodaram diferentes países em exposições pelo mundo e podem ser vistas até mesmo em programas televisivos. Novelas como “Paraisópolis”, “Cheias de Charme” e “Sangue Bom” contaram com trabalhos seus, bem como o “Encontro com Fátima Bernardes”, que em 2014 teve o “Painel dos Passarinhos” como cenário.

Trajetória de respeito

Titton nasceu em São Paulo (1949) e mudou-se para Curitiba em 1957. Mestre em educação, especialista em Sociologia e Economia, graduada em pintura pela Embap – Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Anunciou cedo a carreira promissora: ainda no início da faculdade, obras suas foram selecionadas para viajarem até Budapeste, para fazerem parte da V Bienal Internacional da Pequena Escultura.

Sua pesquisa passou por litogravuras, máscaras em bronze fundido, cerâmicas, esculturas em alumínio e madeira, chegando às grandes árvores feitas de aço e cortadas a laser. Desde 2007, quando apresentou o trabalho “In Natura”, no Museu Oscar Niemeyer, seu corpo de obra vem sendo dedicado à fauna e flora nesse material, simplificando forma e volume com chapas bidimensionais. Com essa proposta, contempla não apenas originalidade e estética, mas emprega também significado às criações.

Suas referências estéticas mudaram com o passar do tempo. “Eu comecei lá atrás, na mitologia europeia, na commedia dell’arte. Depois, eu vim para a brasilidade, para a questão do Xingu e da natureza. E, em seguida, vieram as coisas do meu eu. Quem sou eu, como eu me coloco neste mundo?”, explica a artista.

Entre os prêmios já recebidos, estão o Masters of Sheet Metal, publicação da Trumpf; Prêmio Aberje – Volvo Cultural; 10º Salão Paranaense de Cerâmica; Menção Especial do Júri na 5º Mostra do Desenho Brasileiro; 3ª Mostra de Escultura João Turin, entre outros.

Elizabeth foi convidada a expor individualmente na Galeria Arrigoni-Baar, na Suíça, em 2014. Ainda no exterior, suas obras já estiveram em mostras na Polônia, Áustria, Alemanha, Hungria e Estados Unidos. No Brasil, já teve exposições individuais em São Paulo (Funarte, Documenta Galeria de Arte, Itaú Galeria de Arte); no Museu Oscar Niemeyer e em outros inúmeros espaços de Curitiba.

Além de serem admiradas em áreas de circulação e espaços abertos, as obras de arte criadas por Elizabeth Titton também chegam às casas das pessoas. Suas peças já foram transformadas em artigos de design e podem ser encontradas em diversas lojas do país.

Sua atuação extrapolou a produção de arte, sendo também conhecida pela carreira dedicada à educação. Lecionou no Curso de Escultura da EMBAP de 1990 a 2006, além de ter criado, em 1989, o Pró-Criar, um projeto de educação pela arte. Entre 1984 e 1987, ocupou o importante cargo de diretora do MAC, o Museu de Arte Contemporânea do Paraná, participando também do seu conselho consultivo em 2007.

Serviço:

Lançamento do livro “Muirapiranga”, de Elizabeth Titton

Data: 05 de março

Hora: a partir das 16h30

Local: The Kettle – Alameda Prudente de Moraes, 836

*O livro Muirapiranga poderá ser adquirido no dia do evento pelo valor de R$ 50,00.

Comentários estão fechados.