Cinemaskope

Dança das cadeiras

20 de maio de 2015

CAD SERENA TELA (2)

Renove a sala de jantar substituindo as versões tradicionais por modelos inusitados

 

           A sala de jantar tradicional costumava ter todas as cadeiras do mesmo modelo, geralmente robustas, feitas de madeira e com estofados confortáveis. Mas hoje é possível criar uma composição nova, já que a regra dos móveis iguais não existe mais. “O uso de cadeiras diferentes vai além do que é tendência. Trata-se de levar em conta o estilo de cada família e o melhor aproveitamento de cada espaço”, comenta Erika Fukunishi, arquiteta da EFTM Arquitetura.

            Além de serem uma boa opção para renovar o ambiente, é importante ter em mente que essas peças precisam compor a decoração do espaço como um todo. “Por exemplo, elas podem ser de modelos diferentes, mas com a mesma cor ou tons parecidos. Outra opção é investir no contraste entre a cor da mesa e a das cadeiras. Quando a tonalidade for diferente, elas podem ter estilos iguais ou materiais similares. Vale ousar, mas com consciência”, sugere Thalita Miyawaki, também arquiteta da EFTM.

            Fazer uma composição diferente pede uma mesa maior, para que o espaço não fique poluído, com muita informação. Uma boa opção também é trocá-las por um banco sem encosto em um dos lados, o qual acomoda mais pessoas e deixa a decoração mais clean. Por fim, para quem não quer gastar muito e trocar todas as peças, vale usar cadeiras antigas clássicas nas cabeceiras e modelos novos, mais modernos e simples, nos dois lados da mesa. “Para não errar na escolha, alguns aspectos podem ser levados em conta: o tamanho das peças em relação ao tamanho da mesa, o conforto e a ergonomia, e claro, a composição entre elas”, finaliza Erika Fukunishi.

 

Sobre a EFTM Arquitetura:

Em 2013, as arquitetas Erika Fukunishi e Thalita Miyawaki se uniram e fundaram a EFTM Arquitetura, escritório especializado em projetos de urbanismo, interiores e arquitetônicos. Jovens e cheias de ideais, as duas buscam atenção aos detalhes e desejos dos clientes para oferecer projetos funcionais, personalizados e agradáveis visualmente. Erika Fukunishi está formada desde 2010 pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná no curso de Arquitetura e Urbanismo e é especialista em Construções Sustentáveis pela Universidade Tecnológica do Paraná. Thalita Miyawaki, também formada pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná no curso de Arquitetura e Urbanismo, desde 2007, é especialista em Gestão Técnica do Meio Urbano pela mesma instituição.

 

Serviço:

EFTM Arquitetura

Erika Fukunishi – CAU/PR nº A67408-7

Thalita Miyawaki – CAU/PR nº A53912-0

Rua Professor Paulo D’Assumpção, 132, Jardim das Américas – Curitiba (PR)

Site: www.eftmarquitetura.com

Você pode gostar também