Cinemaskope

Curadoria legal: um auxílio indispensável em exposições artísticas

9 de agosto de 2018

O Brasil apoia os mais variados estilos de exposições artísticas, desde novos talentos nacionais a grandes nomes internacionais. São pinturas, desenhos, fotografias, instalações, trabalhos em vídeo, som ou performances artísticas solo ou em grupos, que acabam por chamar a atenção para vários aspectos, inclusive o jurídico. Pode parecer incomum, mas a chamada curadoria legal é imprescindível durante todo o evento e o advogado é parte fundamental para a realização de uma exposição artística.

 

De acordo com Marcella Souza Carvalho, advogada e sócia do Departamento de Assuntos Culturais e Terceiro Setor da Andersen Ballão Advocacia, a curadoria legal é parte importantíssima de uma exposição, já que o advogado acompanha desde a pré-produção até o encerramento.

 

“Na etapa de pré-produção acompanhamos os contratos com todos os fornecedores, liberação de direitos autorais, seguro das obras, alvará do local, financiamento e demais negociações prévias à inauguração. Depois também verificamos a montagem e supervisão no período de inauguração, até a avaliação detalhada do encerramento da exposição, desmontagem, cumprimentos dos contratos, transporte, prestação de contas e todas as demandas que se fizerem necessárias”, explica a advogada.

 

Apesar da grande maioria não imaginar que exista esse trabalho jurídico atrás de uma exposição artística, ele existe e atua em conjunto com o todo. “É uma atuação conjunta que objetiva o máximo de eficiência para que os resultados sejam aqueles esperados e não haja nenhuma surpresa desagradável. Mas, caso isso aconteça, o advogado oferecerá auxílio na busca da melhor solução”, avalia Marcella.

Pode não parecer, mas o advogado é um elemento crucial para a plena desenvoltura não só de exposições, como de qualquer projeto cultural, atuando sempre em conjunto com os produtores, que serão os responsáveis pela estrutura e formatação do evento em questão, mas que necessitam de suporte jurídico adequado bem como de avaliação de riscos e segurança em cada procedimento adotado.

Alfredo Andersen: traços e cores do Paraná

Uma das iniciativas culturais acompanhadas pela Andersen Ballão Advocacia é a exposição “Alfredo Andersen: traços e cores do Paraná”, uma parceria entre a Sociedade Amigos de Alfredo Andersen, Museu Alfredo Andersen e a Itaipu Binacional. Instaurada no Ecomuseu de Itaipu, em Foz do Iguaçu, conta a trajetória do artista norueguês que desenvolveu sua pintura na Europa, em Paranaguá e também em Curitiba.

Estão expostos retratos, cenas de gênero, paisagens e objetos pessoais do artista, que é considerado o “pai da pintura paranaense”. A mostra permanece no local até 2 de setembro de 2018.

“Depois de mais de um século de sua chegada em terras brasileiras, trazemos Andersen e parte de sua obra, para ser vista e conhecida nesta região tão bela do país que ele adotou como seu”, comenta Wilson J. Andersen Ballão, sócio-fundador da ABA e presidente da Sociedade Amigos de Alfredo Andersen.

Mais informações: ecomuseu@itaipu.gov.br
www.turismoitaipu.com.br/pt/atracoes/ecomuseu ou (45) 3520-5816.

Você pode gostar também