Cinemaskope

Coaching é ensinar o caminho

18 de novembro de 2013

Fazendo o cliente usar suas próprias habilidades, o profissional auxilia o aprimoramento pessoal de cada um.

Coaching é uma metodologia criada que procura atender a várias necessidades humanas, entre elas, atingir metas, solucionar problemas e desenvolver novas habilidades. Ele é um processo de aprendizagem e desenvolvimento de competências comportamentais, psicológicas e emocionais, direcionado à conquista de objetivos e obtenção de resultados.
Para o coaching, o velho ditado de que o mais é correto não é “dar o peixe”, e sim “ensinar a pescar” está valendo mais do que nunca. Fica cada vez mais claro que é hora de investir em aprimoramento profissional, seja para aperfeiçoar a criatividade, para manter a função numa corporação ou até para melhorar as questões que envolvem a vida pessoal.
Segundo Madalena Feliciano, diretora do Instituto Profissional de Coaching, uma boa forma de investir nesse aprimoramento profissional – e até pessoal – e garantir que o indivíduo possua algum diferencial, que é o que mais chama a atenção no mercado, é investir no coaching.
“Constituído por duas visões: a do coachee, o cliente, executivo da empresa que se dispõe a passar pelo coaching e investir no seu próprio crescimento, e a do coach – treinador, em inglês, – que é a pessoa que será responsável por conduzir o executivo no caminho da descoberta das suas próprias características e melhores habilidades. “O coach vai ajudar o coachee a se conhecer melhor para conseguir dar o máximo de si, com a melhor qualidade possível e sem o desgaste que poderia ser sentido, caso ele fizesse isso da maneira errada”, explica a especialista.
Madalena diz que, para as empresas, investir em coaching é investir em capital humano, a espinha dorsal das instituições. “Toda empresa deveria treinar os seus colaboradores, desde aquele que trabalha no ‘chão de fábrica’ até os principais executivos da companhia de forma adequada”, diz.
Quando o executivo da empresa decide contratar um coach a fim de melhorar o seu desempenho pessoal, ele deve passar por, no mínimo, dez sessões – sempre individuais e confidenciais. Ali, ele poderá aprender a canalizar o seu potencial e a localizar, por si mesmo, as resoluções para os problemas ou defeitos que encontra na própria conduta. Porém, Madalena ressalta que coaching não é terapia, mentoring, consultoria ou simplesmente treinamento. “São estratégias para o próprio coachee encontrar a melhor maneira de fixar seus conhecimentos e habilidades”, conclui.
Instituto Profissional de Coaching
Madalena Feliciano
Diretora Geral
(11) 2737-1685
E-mail: madalena@ipcoaching.com.br
www.ipcoaching.com.br

 

Você pode gostar também