Cinemaskope

Casa Wilson Bueno abre no domingo em homenagem ao escritor

12 de março de 2016

O escritor, cronista e poeta paranaense Wilson Pinto Bueno completaria 67 anos no dia 13 de março. Para marcar a data, a Casa da Leitura Wilson Bueno, no Portão Cultural, abre excepcionalmente na tarde de domingo, trazendo diversas ações literárias de suas obras para toda a comunidade, além da distribuição de poemas e sorteio de livros. Toda a programação é gratuita.

Programação:

14h30 – O GATO PELUDO E O RATO DE SOBRETUDO 
Contação de histórias da única obra infantil de Bueno, e histórias diversas que dialoguem com a narrativa inicial. Com Alisson Freyer.

15h – MÚSICA NA CASA
Apresentação dos músicos João Moraes e Mariana Buchmann.

15h30 – BATE PAPO COM DENISE ROMAN
A artista plástica fala sobre seus trabalhos em parceria com o autor.

16h – DIARIO VAGAU
Roda de leitura de alguns contos do livro. Com José Bernardo e Daiana Hostins.

17h10 – POESIA E IMPROVISAÇÃO 
Sessão de improviso musical permeada de poemas de Bueno, com João Moraes e Mariana Buchmann.

17h30 – MEU TIO ROSENO, A CAVALO
Leitura cênica de trecho do romance. Com Alisson Freyer e Fabiane de Cezaro.

O AUTOR

Wilson Bueno nasceu em Jaguapitã, no Norte do Paraná, em 1949, e morava em Curitiba desde a década de 1970. Considerado um dos mais importantes escritores brasileiros contemporâneos, ao longo de sua vida construiu duas obras: a sua literatura – reconhecida como uma das mais relevantes dos últimos 40 anos, que lhe rendeu 16 livros – e o jornalismo – como editor de O Nicolau e colaborador em vários jornais conceituados do país. Faleceu no dia 30 de maio de 2010.

Literatura – Foi apresentado aos leitores brasileiros em 1986, pelo poeta curitibano Paulo Leminski, com a publicação da coletânea de contos Bolero’s Bar. Em 1991, escreveu o Manual da Zoofilia, textos que refletem a mitopoética do amor erótico humano. Com a novela Mar paraguayo, lançada em 1992, ganhou projeção nacional e internacional.

Em 2000 ganhou a Bolsa Vitae de Literatura, a mais expressiva bolsa literária brasileira, com o romance Amar-te a ti nem sei se com carícias, também finalista do Prêmio Zaffari e Bourboun de melhor romance publicado em língua portuguesa no biênio 2003/2004. O mesmo também foi adotado como leitura obrigatória do Vestibular Unificado/2005, da UFMS. Em 2006, o livro Cachorros do céu foi finalista no Prêmio Portugal Telecom de Literatura, um dos mais importantes do setor. A obra Meu Tio Roseno a Cavalo, foi finalista no Prêmio Jabuti de Literatura em 2001.

Jornalismo – O escritor foi o criador e editor, durante oito anos, do suplemento de ideias Nicolau, considerado o Melhor Jornal Cultural do Brasil pela Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA), em 1987. Ele também era cronista do jornal "O Estado do Paraná", da revista "Ideias" e colaborador do caderno cultural do jornal "O Estado de São Paulo".

SERVIÇO:
“Domingo na Bueno”
Data: 13 de março de 2016, domingo.
Horário: a partir de 14h30
Local: Casa da Leitura Wilson Bueno – Portão Cultural
Entrada gratuita.

Você pode gostar também