Author

Tiom

Browsing

Quando irmãos se defrontam em “Olhares Perdidos”

Em ritmo de finalização o curta metragem “Olhares Perdidos”, de Leonel Cunha e Matheus de La Palm. Um ensaio bem atual sobre os conflitos entre dois irmãos com a mãe á beira da morte. Uma história ficcional que tem como pano de fundo a tragédia da Covid 19. No elenco Bruno Barros, Leonel Cunha,  Marinho Valente, Mariana Cunha e João Rossi.

As ferramentas tecnológicas, em especial a telemedicina, são vistas por especialistas como uma forma de potencializar e reverter aspectos negativos da gestão da saúde no Brasil

 

 Em um mundo com cada vez mais presença digital, os serviços que não se remodelarem ficarão obsoletos. Seja na forma de estudar, trabalhar, comprar ou até mesmo receber o atendimento de profissionais de diversas áreas. Na medicina, esse fenômeno tecnológico tem acontecido nos últimos anos, mas por conta da pandemia do novo coronavírus, muita coisa acabou sendo acelerada pela necessidade de atender os pacientes de forma remota. O Brasil é um país de dimensão continental e muitas pessoas têm se beneficiado da telessaúde desde que ela foi autorizada em caráter emergencial em decorrência do Projeto de Lei 696/20, proposto pela Deputada Federal Adriana Ventura, com foco no tratamento da Covid-19.

Essa liberação ainda não é definitiva, visto que esse tipo de atendimento só está autorizado enquanto a saúde pública estiver em colapso por conta da pandemia. Para Fábio Tiepolo, CEO e fundador da Docway, empresa brasileira de inovação com foco em saúde, todo o ecossistema precisa estar preparado para que a telemedicina funcione de forma efetiva no país. “Nosso foco na Docway é continuar investindo em inovação, disponibilizando novas tecnologias, e impulsionando nossos serviços dentro de diversos segmentos. Sendo assim, estaremos preparados para assumirmos as novas demandas que serão geradas quando a prática for oficialmente liberada no país”, enfatiza o CEO.

O Diretor Corporativo de telessaúde da operadora de planos de saúde Hapvida, José Luciano Cunha, afirma que é difícil dissociar a economia do impacto social que a telemedicina pode proporcionar na vida das pessoas. “Segundo dados do IBGE de 2019, temos mais de 72% da população brasileira conectada à internet, além de cada vez mais sinal de redes 2G e 3G nas regiões rurais. Isso acaba auxiliando na troca de informações entre o paciente e o profissional, pois a telemedicina não é apenas uma troca de mensagens, mas sim uma troca de informações entre os dois e essa tecnologia facilita o acesso à saúde”, explica Cunha.

Só por este motivo, já é importante analisar o quanto seria benéfico se os órgãos públicos conseguissem incluir a telemedicina como um serviço de saúde comum no país. Assim como uma consulta tradicional, a teleconsulta também precisa de uma infraestrutura adequada e profissionais habilitados para realizar esse tipo de atendimento. “Todo o ecossistema precisa estar preparado para a telemedicina, em especial a teleconsulta. O profissional deve se preocupar com segurança de dados, com a postura durante o atendimento, com a maneira que deve falar com o paciente, pois em uma teleconsulta existe a barreira física e tudo precisa ficar muito claro”, ressalta Tiepolo.

Muitos acreditam que a telessaúde é regulamentada em todo o mundo e que apenas o Brasil está atrasado, mas se enganam. “Nos Estados Unidos, o maior crescimento no setor foi nesse momento, devido à pandemia, afinal, eles também tinham problemas regulamentares, e agora, acreditam que a telemedicina veio pra ficar, mas ela já existia antes”, comenta Cunha. A telemedicina deve ser encarada como um recurso que vem para somar. “Além disso, é uma excelente ferramenta para viabilizar os sistemas de saúde e otimizar o tempo médico, gerando benefícios para todos os envolvidos e colocando o Brasil em linha com as boas práticas adotadas por outras nações”, completa Tiepolo.

Com tecnologia pioneira no país, o Planeta Drive-In estreou com sucesso na Pedreira Paulo Leminski, em Curitiba, e agora prepara o lançamento de sua segunda unidade no Paraná

 

 Em tempos em que o isolamento social se faz tão necessário, como fazer para fugir um pouco dos problemas do dia a dia e relaxar? Pensando nisso, a Planeta Brasil Entretenimento, produtora com mais de 30 anos de atuação no país, desenvolveu um projeto adequado aos novos protocolos de segurança: o Planeta Drive-in. Desde o mês de junho, a opção de entretenimento seguro transformou a Pedreira Paulo Leminski, um dos principais pontos turísticos de Curitiba (PR), em um grande espaço multieventos a céu aberto com o conceito drive-in, com o público curtindo as mais variadas atrações de dentro de seus carros. Agora, a produtora curitibana prepara o lançamento de sua terceira unidade no Brasil,  segunda no Paraná, que vai funcionar no Expotrade Pinhais.

Com inauguração prevista para o dia 13 de agosto, o Planeta Drive-In Pinhais será o maior drive-in do Brasil, com capacidade para mais de 400 carros, com distância segura entre eles, e foco em grandes shows, além das tradicionais sessões de cinema. “O Expotrade Pinhais é conhecido nacionalmente como palco de grandes shows e eventos. Agora, teremos o prazer de levar até ele um novo conceito, que tem se mostrado uma ótima alternativa de entretenimento para um público que tem valorizado muito as alternativas possíveis de lazer fora de casa. Sucesso absoluto na Pedreira Paulo Leminski, e com uma unidade em funcionamento no Recife (PR), o Planeta Drive-In chega ao seu novo endereço com toda excelência necessária para que as pessoas tenham uma experiência inesquecível”, comenta o diretor da Planeta Brasil Entretenimento, Patrik Cornelsen.

O projeto do Planeta Drive-In foi desenhado como uma forma de trazer de volta atrações culturais fora de casa à vida das pessoas, uma experiência vintage, com tecnologia de última geração aplicada, além de uma infraestrutura completa de gastronomia e serviços com comodidade e segurança, respeitando as principais orientações dos órgãos oficiais para diminuir a disseminação da Covid-19, entre elas evitar aglomerações em locais públicos. “Trata-se de um modelo inteiramente pensado para atender as demandas de cultura e entretenimento. Diferentemente de qualquer comércio ou serviço, no drive-in não há contato entre as pessoas”, afirma Cornelsen.

No Planeta Drive-In, não existe qualquer forma de aglomeração e o modelo foi pensado para os cenários mais extremos de isolamento social, seguindo as melhores referências de eventos já realizados na Europa e na Ásia levando em conta o controle da Covid-19. Os colaboradores envolvidos na produção são em número bastante reduzido, e submetidos a protocolos de higienização ,exames e esterilização total, inclusive de pertences, antes do início de suas atividades. Levando em consideração o público espectador, os veículos passam por um pioneiro sistema de desinfecção nos pneus e da lataria, com ingresso validado eletronicamente e sem contato humano. A venda de alimentação e bebida é feita via aplicativo, e os produtos são entregues desinfectados na janela do veículo, que só pode permanecer aberta do lado esquerdo.

“Até mesmo o uso dos sanitários ganhou uma ajuda muito importante no combate ao coronavírus. A ida aos banheiros deve ser solicitada e agendada via aplicativo, pois apenas uma pessoa por vez é autorizada a transitar na arena. Além da limpeza tradicional, os sanitários são dotados de um moderno sistema de esterilização de ar”, explica Cornelsen.

 

Tecnologia pioneira e experiências múltiplas

Ao contrário de outros modelos de drive-in espalhados pelo país, que trabalham com projetores tradicionais, o Planeta Drive-In utiliza uma tecnologia pioneira, que possibilita a transmissão em incríveis telões de led, com resolução 4K. No Planeta Drive-In Pinhais, a produtora vai montar três telões, que juntos irão somar mais de 230m², que irão impressionar o público pela altíssima definição, além de permitir exibições mesmo em dias de chuva. Para completar, o som é transmitido via rádio FM, diretamente dentro dos veículos. “Tomamos cuidado com todos os detalhes para que o Planeta Drive-In seja uma experiência única e, principalmente, para que os nossos usuários gostem e retornem”, reforça o diretor da Planeta Brasil Entretenimento.

Além das tradicionais sessões de cinema, o Planeta Drive-In Pinhais terá como foco principal a realização de shows. “Estamos preparando uma programação muito interessante, com experiências imperdíveis. Devido ao tamanho do Expotrade, teremos capacidade para realizar shows nacionais”, detalha Cornelsen. O espaço estará preparado para receber, também, diversos outros eventos, entre eles transmissões de campeonatos de futebol, atividades religiosas, competições de E-Sports, palestras e, até mesmo, lives. O drive-in funciona como um verdadeiro festival, mas com a diferença de que o público acompanha tudo dentro de seus carros (até 4 pessoas por carro). Os ingressos são adquiridos antecipadamente por meio de plataformas online e validados no local do evento, sem que os usuários precisem sair do carro.

A programação inicial do Planeta Drive-In Pinhais, assim como mais detalhes sobre sua inauguração, será divulgada nos próximos dias. Para mais informações sobre o Planeta Drive-In, acesse o site www.planetadrivein.com ou as redes sociais oficiais da Planeta Brasil Entretenimento.

 primeira edição do Thunderstruck Drive-In será realizada neste sábado, com atrações para toda a família, entre elas a exibição do filme “O Rei Leão” e shows com as bandas Afoostic e Tn’She

 

 Aos poucos, o mundo todo vai se adaptando ao “novo normal”. Se não é possível voltarmos no tempo para nos aproximar de tudo o que vivíamos antes do aparecimento do coronavírus, que tal reinventar nossas experiências? Com esse pensamento e muita vontade de levar diversão aos curitibanos, o Planeta Drive-In, maior drive-in do Sul do Brasil, implantado na icônica Pedreira Paulo Leminski, e o Bar Crossroads vão promover neste sábado, dia 01 de agosto, a primeira edição do Thunderstruck Drive-In, que contará com atrações especiais para toda a família. O evento será realizado no formato drive-in, ao ar livre e com os espectadores dentro de carros.

A programação musical do Thunderstruck Drive-In contará com a apresentação de três bandas: Rockids, Afoostic e Tn’She. O projeto Rockids, que sobe ao palco a partir das 14h, vai apresentar os clássicos do rock para crianças, de forma divertida e irreverente. Já a partir das 21h30, o palco será ocupado pelas bandas Afoostic, com um tributo ao Foo Fighters, e Tn’She (FOTO), que vai agitar a Pedreira Paulo Leminski com o melhor do AC/DC. “Para esse dia histórico na Pedreira Paulo Leminski, convidamos três projetos musicais que fazem muito sucesso no Bar Crossroads. Rock and roll de altíssima qualidade para a família toda. Temos certeza de que teremos um dia incrível, com entretenimento de qualidade e, antes de tudo, seguro”, comenta Alessandro Reis, proprietário do Bar Crossroads, uma das grandes referências da noite curitibana.

Já para quem quiser curtir um cinema de qualidade, com exibições em um telão de 181m², com tecnologia de última geração e resolução 4K, o Thunderstruck Drive-In trará a nova versão do clássico “O Rei Leão”, produzido pela Disney, e o incrível “Yesterday”. O filme “O Rei Leão” conta a história de Simba, um jovem leão cujo destino é se tornar o rei da selva, mas tem seu futuro comprometido após uma armadilha elaborada por seu tio Scar, que dá início a uma trama fascinante e repleta de ensinamentos. Já em “Yesterday”, um cantor-compositor acorda, após sofrer um acidente, numa estranha realidade, onde ele é a única pessoa que lembra dos Beatles. Com as músicas de seus ídolos, o protagonista redescobre uma nova vida.

Entretenimento seguro

 

Segundo o diretor da Planeta Brasil Entretenimento, Patrik Cornelsen, o Planeta Drive-In foi desenhado como uma forma de trazer de volta atrações culturais fora de casa à vida das pessoas, uma experiência vintage, com tecnologia de última geração aplicada, além de uma infraestrutura completa de gastronomia e serviços com comodidade e segurança, respeitando as principais orientações dos órgãos oficiais para diminuir a disseminação da Covid-19, entre elas evitar aglomerações em locais públicos. “Trata-se de um modelo inteiramente pensado para atender as demandas de cultura e entretenimento. Diferentemente de qualquer comércio ou serviço, no drive-in não há contato entre as pessoas”, afirma.

No Planeta Drive-In, não existe qualquer forma de aglomeração e o modelo foi pensado para os cenários mais extremos de isolamento social, seguindo as melhores referências de eventos já realizados na Europa e na Ásia para controle da Covid-19. Os colaboradores envolvidos na produção são em número bastante reduzido, e submetidos a exames, paramentos e esterilização total, inclusive de pertences, antes do início de suas atividades.

Levando em consideração o público espectador, os veículos passam por um pioneiro sistema de desinfecção nos pneus e da lataria, com ingresso validado eletronicamente e sem contato humano. A venda de alimentação e bebida é feita via aplicativo, e os produtos são entregues embalados na janela do veículo, que só pode permanecer aberta do lado esquerdo. “Até mesmo o uso dos sanitários ganhou uma ajuda muito importante no combate ao coronavírus. A ida aos banheiros deve ser solicitada e agendada via aplicativo, pois apenas uma pessoa por vez é autorizada a transitar na arena. Além da limpeza tradicional, os sanitários são dotados de um moderno sistema de esterilização de ar”, completa Cornelsen.

Programação completa

 

– 14h (show ao vivo): Rockids

– 15h30 (filme): O Rei Leão (dublado)

– 18h30 (filme): Yesterday (legendado)

– 21h30 (show ao vivo): Afoostic

– 23h (show ao vivo): Tn’She

A primeira edição do Thunderstruck Drive-In será realizada neste sábado, dia 01 de agosto, a partir das 14h, no maior drive-in do Sul do Brasil, implantado na Pedreira Paulo Leminski – Parque das Pedreiras (R. João Gava, 970). Os ingressos, vendidos separadamente para cada atração, custam a partir de R$ 80 por carro (até 4 pessoas por automóvel) e estão disponíveis no site www.planetadrivein.com. Mais informações nas redes sociais oficiais da Planeta Brasil Entretenimento, do Planeta Drive-In e do Bar Crossroads.

Foco do curso, ministrado pelo crítico e pesquisador Sérgio Alpendre, é o trabalho brilhante e polêmico do artista como diretor – que deu ao cinema clássicos modernos como “Menina de Ouro”, “As Pontes de Madison” e “Os Imperdoáveis”

Pesquisador e professor de cinema, o crítico Sérgio Alpendre realiza, a partir de 6 de agosto, um curso online sobre a obra completa do diretor Clint Eastwood, que acaba de completar 90 anos ainda em plena atividade.

Uma parceria com a Escola Cultural Petrópolis, o curso se estenderá por quatro encontros, numa carga horária total de 10 horas.

Quando: de 6 a 27 de agosto, sempre às quintas-feiras, das 19h às 21h30.

Quanto: R$ 120, o curso todo, ou R$ 40 por aula avulsa.

Onde: plataforma online Zoom.

Inscrições pelo e-mail escolaculturalpetropolis@gmail.com

Ou pelo telefone/whatsapp (24) 99314-5999.

O CURSO

O conteúdo tem foco na carreira de Clint Eastwood especificamente como diretor (o artista também é um dos atores mais consagrados do cinema), desde sua estreia na direção, em 1971, com “Perversa Paixão”, até seu último filme, de 2019, “O Caso Richard Jewell”.

Primeira aula:

Tratará do despertar desse trabalho como diretor, numa fase em que o artista ainda era influenciado pelos filmes policiais de Don Siegel os westerns de Sergio Leone – e também do desenvolvimento de um estilo próprio. Haverá um mergulho mais profundo nos filmes “O Estranho Sem Nome” (1973), “Josey Wales, O Fora da Lei” (1976) e “Bronco Billy” (1980).

Segunda aula:

Sérgio Alpendre explicará a fase em que Eastwood desenvolve uma “consciência de estar no mundo” em seu cinema, com filmes sobre melancolia, obsessão e seu amor à música – que tem como expoente “Bird” (1988), a cinebiografia do revolucionário do jazz Charlie Parker.

Terceira aula:

É o que o pesquisador considera a fase de ouro do diretor, nos anos 1990. Foi quando ganhou Oscar de Melhor Filme e Direção por “Os Imperdoáveis” (1992) e fez uma delicada investigação da sensibilidade feminina em “As Pontes de Madison” (1995).

Quarta aula:

Será apresentada a fase madura de Clint Eastwood, ainda no ápice da forma, como em filmes premiados como “Sobre Meninos e Lobos” (2003) e “Menina de Ouro” (2004) – outra obra, aliás, que lhe rendeu um Oscar de Melhor Filme. Essa aula ainda tratará das produções que lidam com o ponto de vista do autor sobre a guerra (“A Conquista da Honra”, “Cartas de Iwo Jima”, “Sniper Americano”) e sua voz contra o preconceito (“Invictus”, “Gran Torino”).

Todas as aulas terão exibição de trechos de filmes essenciais dos períodos comentados.

CLINT “CANCELADO”?

O professor Sérgio Alpendre lembra que Clint Eastwood costuma ser vítima de uma sensibilidade atual que varre para debaixo do tapete as ambiguidades e complexidades do ser humano e de uma obra de arte. Daí, ele e alguns de seus filmes serem atacados, às vezes, como se tendo referências racistas, belicistas e reacionárias. Injustiças de uma moda do “cancelamento de personalidades”, que um olhar mais atento a seus filmes negará, segundo Alpendre.

“Clint Eastwood se apoia na complexidade do ser humano e nas contradições de suas ações porque sabe que a melhor arte é ambígua”, explica o crítico.

Sérgio Alpendre ressalta que a proposta do curso, no entanto, não é explorar as declarações polêmicas ou o posicionamento político do artista americano. “Interessa-nos, antes, pensar em seus filmes, no que eles nos dizem. Um cinema marcado pela crença no indivíduo e por um humanismo que parece não existir mais.”

O PROFESSOR

Crítico de cinema, pesquisador, curador e jornalista, Sérgio Alpendre escreve críticas de filmes para a Folha de S. Paulo desde 2008, entre outros veículos de comunicação, como UOL, Bravo, Revista E, Contracampo e Cineclick. Foi fundador e editor da Revista Paisà, publicação impressa de cinema (2005 a 2008), e atualmente edita a Revista Interlúdio (www.revistainterludio.com.br).

Doutor em Comunicação/Cinema pela Universidade Anhembi-Morumbi, é mestre em Meios e Processos Audiovisuais pela ECA – USP.

Participa de seleções e júris em festivais, além de ministrar cursos de história do cinema e oficinas de crítica por todo o Brasil.

Já está on line a edição de julho 2020 da Revista Cla Magazine, um projeto editorial do fotógrafo Cla Ribeiro. Destaque para a matéria de capa com o modelo Bruno Pacheco “O Queridinho de Portugal”(by Raquel de Andrade). Destaque também para a entrevista com Gabriel Castro (O Pão da Inclusão) por Raquel de Andrade. Moda, Fotografia, Gastronomia e muito mais. Acesse. www.clamagazine.com

Antes do isolamento social o  portal Flash Curitiba lançou o projeto Flash Cast, uma série de bate papo comandado por Ale Maya com entrevistados de variados setores do meio empresarial, cultural, da comunicação, entre outros. Os áudios de 5 a 10 minutos são publicados a cada 15 dias no YouTube e Soundcloud.

O primeiro episódio,  Rocket 2020 – Realitie de Startups, contou com a participação de Eduardo Boschetti – diretor geral da RPC; Itamar Viola, da Via Soft; Daine Fardin , apresentadora da RPC e Alexandre Gurtat, gestor do Rocket.

“O Flash Curitiba vem se reinventando no meio da comunicação, como site de variedade e programa de entrevistas. O Flascast veio para complementar e apresentar através do áudio conteúdo de entretenimento, cultura e arte tornando mais acessível e prática a vida dos nossos leitores, seguidores e agora ouvintes”, explica Ale Maya.

Já passaram pelo Flash Cast também o diretor da produtora Mostra Cena Hum, George Sada; que falou sobre os 25 anos da Academia Cena Hum e o publicitário, fotógrafo e publisher da Cla Magazine, Cla Ribeiro,  que compartilhou sua experiência de 12 anos em comunicação.

 Com trabalhos bem atuais, o artista irreverente e carismático, Eduardo Martini, falou sobre sua personagem, Neide Boa Sorte, que está animando as redes sociais em tempo de pandemia abordando temas atuais e cheios de humor e a cantora Vicka falou da música “Pausa” em tempos de isolamento social. A canção já tem mais de um milhão de visualizações nas redes sociais. E para completar Luiz Andrioli, escritor, jornalista e diretor de conteúdo e negócios na Prosa Nova Produções Culturais com o projeto Arte Parada no Ar.

Acesse o Flashcast pelos links abaixo e confira as novidades. Flash Curitiba para ler, ver e ouvir!

YouTube Flash Curitiba:

 https://www.youtube.com/channel/UCZWgF5Dwva3mlORRV1c1eMg?view_as=subscriber

Soundcloud Flashcasthttps://soundcloud.com/flashcastentre

FOTO PIXABAY

Universidade Positivo (UP) está com inscrições abertas para a Escola de Inverno da Business School, programa que oferta oficinas na área de negócios durante as férias de julho. A programação conta com workshops que ensinam desde Excel para negócios até Ciência de Dados e Google Design Sprint. As inscrições podem ser realizadas até sexta-feira (17). A Escola de Inverno tem início na segunda-feira (20) e segue até sábado (25).

Realizada pelo segundo ano, a Escola de Inverno foi idealizada pelos estudantes da Alper, empresa júnior da Business School da UP. “Com base em pesquisas em escolas de inverno e cursos de verão de instituições internacionais renomadas, os alunos formataram o nosso projeto, de acordo com a nossa realidade”, conta Luiz Pinheiro, professor da Business School da Universidade Positivo e líder do projeto.

O objetivo da Escola de Inverno é ofertar novas experiências de aprendizagem, por meio de metodologias práticas e inovadoras. “Geralmente, trata-se de um momento das férias de julho no qual os alunos têm a possibilidade de aplicar conceitos e aprender ferramentas na prática”, explica. Ao todo, são 25 vagas para cada oficina. As inscrições, que são gratuitas ou têm investimento reduzido, podem ser realizadas pelo site www.escoladeinvernobsup.com.br/.

 

Serviço

Escola de Inverno Universidade Positivo

Inscrições: até sexta-feira (17)

Data: segunda-feira (20) a sábado (25)

Mais informações e inscriçõeswww.escoladeinvernobsup.com.br/

 

Sobre a Universidade Positivo

Universidade Positivo é referência em ensino superior entre as IES do estado do Paraná e uma marca de reconhecimento nacional. Com salas de aula modernas, laboratórios com tecnologia de ponta, mais de 400 mil m² de área verde no câmpus sede, a Universidade Positivo é reconhecida pela experiência educacional de mais de três décadas. A instituição conta com três unidades em Curitiba (PR) e uma em Londrina (PR) e mais de 70 polos de EAD no Brasil. Atualmente, oferece mais de 60 cursos de Graduação, centenas de programas de especialização e MBA, sete programas de mestrado e doutorado, além de cursos de educação continuada, programas de extensão e parcerias internacionais para intercâmbios, cursos e visitas. Além disso, tem sete clínicas de atendimento gratuito à comunidade, que totalizam mais de 3.500m². Em 2019, a Universidade Positivo foi classificada entre as 100 instituições mais bem colocadas no ranking mundial de sustentabilidade da UI GreenMetric. Desde março de 2020 integra o Grupo Cruzeiro do Sul Educacional. Mais informações em www.up.edu.br   

O pulmão é o órgão mais atingido pelo novo coronavírus. A doença causa uma inflamação intensa nos alvéolos, estruturas responsáveis pela as trocas gasosas, e em alguns casos, o tratamento deixa cicatrizes irreversíveis, conhecidas como fibroses. Ter uma equipe médica que sabe como proceder é essencial, por isso, o Centro Universitário Internacional Uninter e o Instituto Wilson Picler oferecem gratuitamente, o curso de Emergências Respiratórias: Ventilação Artificial.

“Essa iniciativa permite que as pessoas possam capacitar-se de forma gratuita em meio a uma situação de pandemia, sem sair da segurança de suas casas. Muitos profissionais de saúde não possuem conhecimento com o manejo de quadros respiratórios de paciente crítico. Visto que a força de trabalho nesse setor aumentou exponencialmente, nosso curso possibilita a este profissional, a ampliação dos conhecimentos”, explica Cristiano Caveião, que é enfermeiro e coordenador da área da saúde da Uninter.

Mais de duas mil pessoas já estão inscritas e vão estudar temas como: Anatomia e Fisiologia do Sistema Respiratório, Controle Neurológico da Respiração, Exame Físico e Principais Sinais, e Sintomas Relacionados ao Sistema Respiratório, Via Aérea Artificial, Ventilação Mecânica: conceitos básicos e Análise Gráfica das Curvas Ventilatórias (Pressão, Fluxo e Volume).

“Essa capacitação é válida para qualquer momento, sem distinguir que estamos passando por uma pandemia, pois sempre temos situações graves relacionadas a doenças respiratórias em nosso país, principalmente com a chegada do inverno ou no caso do verão, com o aumento dos acidentes automobilísticos”, comenta Caveião.

O curso tem carga horária de 60 horas, é gratuito e dá direito a certificado. As inscrições podem ser realizadas pelo link: https://www.uninter.com/extensao/gratuitos/

Padrões: Imbuia e Sofisticado | Foto: Divulgação

Padrões têm como responsabilidade manter viva a história de árvores ameaçadas de extinção

Conceito que nunca sai de moda, a sustentabilidade é muito mais do que uma tendência, afinal, presar por atitudes sustentáveis é uma necessidade. No segmento de arquitetura, decoração e construção, a escolha de materiais que preservem a natureza deve ser levada em consideração. Nesse sentido, o MDF é uma das opções mais completas. Além de sua versatilidade, o revestimento utiliza fibras de madeira de reflorestamento como matéria-prima, evitando o desmatamento e o uso excessivo de árvores nativas.

Preservando a história

Um dos papéis do MDF, devido aos altos índices de desmatamento já realizado, é a preservação da imagem de árvores ameaçadas de extinção. Dentre os lançamentos de 2020, a Sudati, especialista no segmento, traz o Imbuia. O padrão, desenvolvido a partir das lâminas naturais, retrata a imponente espécie nativa da Mata Atlântica, que teve papel muito importante no desenvolvimento econômico do país.

Com o padrão Imbuia, a Sudati mantém vivos por gerações os detalhes dessa árvore tão marcante e expressiva. O material conta com aspecto inconfundível, possuindo tonalidades que variam do pardo-claro-amarelado ao pardo-acastanhado, com veios escuros que fazem parte da nossa memória afetiva, gerando sensação de conforto, bem-estar e segurança. As combinações são inúmeras, desde ambientes mais clássicos até projetos mais modernos.

Alunos no ensino médio, da rede pública de ensino, podem participar no próximo dia 30, às 16 horas, da 3ª edição do “Crie o Impossível”, agora em um novo formato, totalmente online. O projeto, que tem como objetivo despertar sonhos e abrir perspectivas, conta com um time de inspiradores, que são pessoas responsáveis por contarem suas histórias e mostrar aos alunos que o caminho pode parecer difícil, mas que acreditar em si é o primeiro passo para se tornar um realizador e protagonista de sua própria história.

Nos últimos dois anos, o projeto já impactou mais de 15 mil jovens em Minas Gerais. Agora, a expectativa é mobilizar jovens de todo o país. Pesquisa realizada em junho pelo Conselho Nacional da Juventude apontou que três em cada 10 jovens pretendem largar a escola pós-pandemia. A cofundadora e CEO do Embaixadores da Educação, Guilhermina Abreu, destaca a importância do evento diante do contexto atual.

“Sabemos que uma parcela relevante dos alunos de escolas públicas sequer tem acesso à internet para assistir ao evento. Por isso, convocaremos os participantes para criar soluções para os desafios da educação pública. Após o evento, serão realizadas mentorias, acompanhamento e aceleração desses projetos transformadores”, destaca.

A consultora do Sebrae/PR, Sônia Shimoyama, frisa que a ideia do evento é inspirar, já que muitos estudantes estão reclusos em função da pandemia da Covid-19. “As histórias inspiradoras que serão apresentadas reforçam que é possível se reinventar e fazer diferente diante das dificuldades. Queremos despertar o novo”, diz a consultora.

As últimas edições do evento contaram com a presença de nomes como Geraldo Rufino, ex-catador de latinha que se tornou empreendedor e fundou a JR DIESEL, maior empresa de reciclagem da América Latina; Thiago Vinhal, primeiro triatleta negro do mundo a participar do Campeonato Mundial de Iromann; e Renê Silva, ativista e morador do Complexo do Alemão eleito um dos jovens negros mais influentes do mundo.

Voltado a estudantes do Ensino Médio da rede pública, é uma iniciativa da organização sem fins lucrativos Embaixadores da Educação e correalizado pelo Sebrae. Os alunos interessados em participar devem se inscrever, gratuitamente, previamente no link do Crie o Impossível.

Termina no próximo dia 27 de julho, às 17h59, o prazo de inscrições no edital Cultura Feita em Casa, lançado no início deste mês pela Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura. Serão selecionados conteúdos digitais artísticos e culturais autorais já finalizados para exibição por meio de plataformas de streaming e mídias sociais do Governo do Paraná.

A obra deverá ser material de audiovisual ou áudio, já produzido, nas áreas de Artes Cênicas; Artes Visuais; Audiovisual; Expressões Culturais, Populares, Indígenas e oriundas de comunidades tradicionais; Literatura, Livro e Leitura; e Música. Esses conteúdos podem ser monólogos, esquetes de comédia, literatura dramática, performances de circo, performances de dança, oficinas teóricas ou práticas, podcasts, apresentações de voz e violão ou instrumental, contação de histórias, videoaulas sobre técnicas ou teorias, vídeos de arte-educação, ação educativa de formação e curtas-metragens.

A duração de cada material deve ter entre 15 minutos (mínimo) e 30 minutos (máximo), com classificação indicativa de até 12 anos. Os conteúdos selecionados serão licenciados para exibição pelo prazo de 24 (vinte e quatro) meses, contados a partir da assinatura do contrato.

É importante reforçar que no momento da inscrição os conteúdos já estejam produzidos, ou seja, não serão escolhidos projetos que ainda serão elaborados após a seleção. Porém, aqueles que desejarem produzir o material especificamente para participar deste edital, podem fazê-lo desde que adotem medidas de prevenção e segurança para a execução da atividade cultural, tomando como base as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e dos decretos estaduais e municipais que se referem às medidas sanitárias de enfrentamento à emergência de saúde pública.

QUEM PODE PARTICIPAR – Podem se inscrever pessoas físicas ou jurídicas domiciliados e residentes no Paraná há mais de 12 meses, contados a partir da publicação do edital. O proponente terá que escolher entre duas modalidades para se inscrever, relacionadas ao seu município sede: Capital do Estado ou Municípios do Estado do Paraná. A inscrição em mais de uma abrangência implicará na desclassificação.

RECURSOS – será disponibilizado o valor de R$ 1.020.000,00 (um milhão e vinte mil reais) para seleção de até 510 obras, sendo 85 projetos de cada área cultural do edital. O proponente que tiver a obra selecionada receberá o valor de R$ 2 mil por projeto.

INSCRIÇÕES – As inscrições devem ser feitas online por meio do sistema SIC.Cultura e ficam abertas até 27 de julho de 2020 .

O edital Cultura Feita em Casa integra o Pacote de Medidas de Apoio e Fortalecimento do Setor Cultural, uma série de ações voltadas a artistas, gestores e produtores com o objetivo de valorizar a cultura feita no Paraná e auxiliar a classe artística a enfrentar este momento de crise.

SERVIÇO: Edital Cultura Feita em Casa.

Inscrições até as 17h59 minutos do dia 27 de julho de 2020.

Confira o edital: www.cultura.pr.gov.br

Inscrições: www.sic.cultura.pr.gov.br

Mais informações: Coordenação de Incentivo à Cultura pelo e-mail culturafeitaemcasa@secc.pr.gov.br

Pela primeira vez, as sessões das mostras competitivas acontecerão exclusivamente em um canal de televisão 

Em um ano atípico para o calendário de eventos em todo o mundo, a mais tradicional premiação da sétima arte no Brasil, o Festival de Cinema de Gramado, terá uma edição não presencial. A exibição de todos os filmes das mostras competitivas será realizada no Canal Brasil. O modelo, inédito no país, aparece como uma solução segura para a realização do evento em um cenário de pandemia. Assim sendo, todos os filmes selecionados pela curadoria do festival – que este ano, além de Marcos Santuario, conta com Pedro Bial e Soledad Villamil – poderão ser assistidos pelos assinantes do Canal Brasil.

De 18 a 24 de setembro, a partir das 19h, vão ao ar: um curta brasileiro, um longa estrangeiro, mais um curta brasileiro e um longa brasileiro. Ao todo, serão 14 longas, sendo sete brasileiros e sete estrangeiros, e 14 curtas. No dia 25, o canal exibe um longa convidado e, no dia 26, será transmitida ao vivo a cerimônia de premiação – que acontecerá no palco do Palácio dos Festivais, em formato que atenda todos os protocolos de segurança à disposição em setembro. Além de serem exibidos na grade do Canal Brasil, os conteúdos, incluindo a Mostra Gaúcha de Curtas Metragens, ficarão também disponíveis por 24h, a partir da exibição no linear, no Canal Brasil Play. O canal mantém também a cobertura jornalística do festival.

A relação do Canal Brasil com o Festival de Gramado começou antes mesmo do canal ir ao ar pela primeira vez, há 22 anos. Foi em Gramado que, em 1998, aconteceu o primeiro Prêmio Aquisição Canal Brasil de Curtas-Metragens – que em 2013 passou a se chamar Prêmio Canal Brasil de Curtas. Os 10 filmes premiados foram exibidos na primeira seleção da faixa “Curta na Tela”. Desde então, o canal esteve presente em todas as edições do festival, seja com o Prêmio Canal Brasil de Curtas, seja como coprodutor de filmes – já que é o principal coprodutor de cinema brasileiro da América Latina, com 333 longas-metragens coproduzidos em uma década -, e ainda através da cobertura jornalística e da transmissão ao vivo em rede nacional da cerimônia de encerramento do festival. O cinema brasileiro é parte expressiva do DNA do Canal Brasil, que já exibiu mais de 5 mil filmes, entre longas e curtas-metragens, além de diversos programas que abordam o tema e suas infinidades.

 

App foi desenvolvido pela Imaxis para desafogar equipes das secretarias de Saúde

Agência Studio Imaxis, de Francisco Beltrão, no sudoeste do Paraná, mudou o foco durante a pandemia do coronavírus. Cledson Lodi, proprietário da startup, convidou os colaboradores a desenvolver um aplicativo para identificação e monitoramento de sintomas da doença. A missão era contribuir com os gestores de saúde e resultou no Maxi Saúde, um aplicativo para dispositivos móveis disponibilizado gratuitamente para as Prefeituras de municípios da região.

Cledson conta que a ideia surgiu após conversas com integrantes da secretaria de Saúde de Francisco Beltrão, que relataram dificuldades para monitorar as pessoas que estavam com Covid-19 ou com suspeita da doença.

“O monitoramento era feito por telefone e a equipe precisava ligar várias vezes ao dia para os pacientes e preencher planilhas. Exigia muito tempo e várias pessoas. Abraçamos a ideia para desenvolver algo de forma voluntária e sem custos, mesmo não atuando diretamente na área de Saúde, no nosso cotidiano”, detalha Cledson.

O aplicativo está dividido em dois módulos: um funciona no smartphone do paciente; o outro, com aspectos administrativos, fica com os gestores dos municípios que adotaram a solução. As pessoas com suspeita de Covid-19 que se dirigem à unidade de Saúde são cadastradas e recebem uma mensagem SMS no celular, para a instalação do aplicativo.

“A partir daí, a monitoração acontece pelo app, que envia notificações durante o dia e os próprios usuários alimentam o sistema. Aqueles que apresentam algum tipo de piora passam para um quadro prioritário”, explica Cledson Lodi.

A Imaxis disponibilizou a solução, gratuitamente, para as 42 secretarias de Saúde do da região, por meio de parceria com a Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná (Amsop).  Para secretarias de outras regiões ou Estados, a empresa cobrará somente os custos de manutenção (SMS, hospedagem e tráfego na internet).

A secretaria de Saúde de Marmeleiro está utilizando a nova ferramenta, sem qualquer custo, pois é da região Sudoeste. “A ferramenta surgiu em muito boa hora [no boletim epidemiológico de 13 de julho, o município contava com 86 casos confirmados e 23 suspeitos]. Não estávamos vencendo fazer as ligações e atualizar os bancos de dados”, relembra Marilene Romio, diretora municipal de Saúde.

O Maxi Saúde desafogou a equipe. “Muitos dos pacientes colaboram conosco, facilitando o trabalho. Recebemos alertas para aqueles que não respondem. Antes, precisávamos de cinco pessoas para o trabalho, agora apenas uma faz o monitoramento.” Marilene ainda compara a facilidade de acesso às informações. “Os relatórios são obtidos em tempo real, o que facilita o trabalho dos gestores e das equipes.”
A Imaxis participa de ações do Sebrae/PR desde 2012 e integra o ecossistema de inovação da região Sudoeste. “A empresa tem trabalhado com processos de inovação e passou por muitas mudanças no modelo de negócio. O empresário está atento às oportunidades que surgiram na pandemia e o empreendedorismo social também é incentivado pelo Sebrae”, comenta Juliano Lima, consultor do Sebrae/PR.

A usina de Itaipu vai revitalizar a iluminação de trechos urbanos da rodovia BR-277, no Oeste do Paraná. A revitalização faz parte de uma parceria entre a Itaipu, margem brasileira, e a Polícia Rodoviária Federal para aumentar a segurança no local – antiga reivindicação da população.

O projeto prevê a implantação de um novo sistema de iluminação viária com luminárias de alta eficiência no canteiro central da rodovia. Serão instalados 544 postes em um trecho total de 20 km, em Foz do Iguaçu (11 km), Santa Terezinha de Itaipu (5 km) e São Miguel do Iguaçu (4 km). O custo da obra é da ordem de R$ 20 milhões.

A implantação do novo sistema de iluminação viária foi definida após uma reunião entre o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, e o diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Eduardo Aggio de Sá, no começo deste mês, no Centro Executivo da Itaipu, em Foz do Iguaçu.

No encontro foram discutidos vários projetos para melhorar a segurança na região de fronteira, entre eles, a iluminação dos trechos urbanos da BR-277. A previsão é que seja celebrado um convênio entre Itaipu e o Governo do Estado para implantar a obra.

“O tema da segurança pública é uma das várias frentes em que a Itaipu se alinha às ações do governo federal”, afirmou Silva e Luna. “A cidade bem iluminada traz mais sensação de conforto e cuidado com a nossa gente, além de reduzir o número de acidentes de trânsito. Essa é mais uma contrapartida de Itaipu para promover o desenvolvimento do Oeste do Paraná.”

A nova iluminação segue o conceito de “rodovias inteligentes”, que tem o objetivo de reduzir os acidentes fatais nas estradas. No projeto, está prevista a instalação de luminárias led de 236 W, de alto rendimento luminotécnico. Os postes metálicos duplos serão do tipo colapsível, ou seja, que cedem ao impacto de uma batida tombando para frente, sem o risco de cair sobre o veículo em uma eventual colisão. Eles terão 12 metros de altura e serão instalados no canteiro central da rodovia.

O projeto foi desenvolvido pelos profissionais da Divisão de Serviços (ODMS.CD) da Itaipu. A área já entrou em contato com as três prefeituras (Foz do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu e São Miguel do Iguaçu) envolvidas nas melhorias que precisam aprovar o projeto de medição de energia consumida na nova iluminação com a Companhia Paranaense de Energia (Copel).

A partir de então, será aberta a licitação para o início das obras, que ficará de responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) ou do Departamento de Estradas de Rodagem (DER). Embora seja uma rodovia federal, a BR-277 está sob concessão do Estado.

O prazo para o início da obra ainda não foi definido.

Nesta quarta-feira (15/07) é lançada a CooperaCom – Cooperativa de Comunicação e Desenvolvimento, uma sociedade regida pelos valores do cooperativismo e pelo estímulo à reinvenção dentro de diversas áreas da comunicação. Nessa mesma data entra no ar o site da cooperativa: www.cooperacom.com.br

O cooperativismo e a reinvenção são mais do que fatores que norteiam esta iniciativa. São tendências mundiais que se mostraram obrigatórias no atual panorama pelo qual a maioria das sociedades passam. Acontecimentos que exigem mudanças (sejam elas imediatas ou graduais) ocorrem de forma constante e demandam dos profissionais uma necessidade de se reinventar, para que assim acompanhem a velocidade das informações, se adaptem a diferentes realidades, absorvam rapidamente novas tecnologias e até estejam prontos para viver um novo conceito de normalidade. Isto é fundamental para continuar prestando serviços de qualidade – e realizá-los de forma cooperada faz parte deste processo de reinvenção.

Atuação

De caráter multidisciplinar, a CooperaCom atua em serviços de Comunicação e Desenvolvimento, com Produções Criativas, Serviços de Relações Públicas, Produção de Conteúdo, Marketing, Publicidade, Design, Assessoria em Gestão, Assessoria de Imprensa, Formação e Educação Corporativa (nas modalidades Presencial e EaD), Workshops, Entretenimento, Audiovisual, Eventos, Cultura, Esportes, Tecnologias Digitais, e Desenvolvimento e Gerenciamento de Projetos.

Primeiros projetos

A CooperaCom desenvolve uma série de projetos. São produtos e serviços identificados com o sufixo CooperaCom, seguido de uma palavra-chave referente ao campo de ação, em um jogo de palavras que faz referência ao trabalho cooperado e à dinâmica de repensar e agir envolvida nestes projetos. Entre eles está o CooperaCom Live, desenvolvido em cooperação com a Ocepar, que tem foco em eventos presenciais e on-line de formação e treinamento. Além de poder contribuir na formação de diversos profissionais Brasil afora, os conteúdos gerados no CooperaCom Live vão alimentar uma plataforma de streaming, que está em desenvolvimento.

A produção de conteúdo inovador e relevante é uma ferramenta fundamental nas mais variadas estratégias de comunicação e de marketing de todas as instituições. Diante disso, são desenvolvidos também outros produtos:

– O CooperaCom Omni para integração de canais de comunicação e produção de conteúdos customizados para clientes.

– O CooperaCom Ideias, que é uma solução completa de eventos presenciais e on-line que abordam os principais pilares de gestão coorporativa.

– O CooperaCom Cine, produto que é voltado ao entretenimento e à cultura.

Site:

www.cooperacom.com.br

Rede Sociais:

www.facebook.com/cooperacombrasil

www.instagram.com/cooperacombrasil

Medicamento importado dos Estados Unidos tem preço que varia de acordo com a cotação do dólar e, hoje, está avaliado em torno de R$ 12 milhões. “Essa desoneração reduz em 18% os custos da compra do Zolgensma, possível apenas por meio de uma ampla campanha de arrecadação e de solidariedade, numa verdadeira corrida contra o tempo para salvar vidas”, disse Luciana.

 A deputada estadual Luciana Rafagnin (PT-PR) protocolou na sessão desta terça-feira (14) um requerimento ao governador do estado, Ratinho Júnior (PSD), pedindo a isenção de ICMS na compra do medicamento importado Zolgensma, utilizado no tratamento da Atrofia Muscular Espinhal (AME).

A AME é uma doença genética neuromuscular, que degenera e provoca a perda de neurônios motores da medula espinhal e do tronco cerebral, que resulta em fraqueza muscular progressiva e atrofia. Esse medicamento não é produzido no Brasil, tem um custo estimado, hoje, em R$ 12 milhões (U$ 2,1 milhões), pela variação do dólar do dia, e deve ser administrado nas crianças que sofrem com a doença até os dois anos de idade para aumentar as chances de cura. “É uma corrida contra o tempo para salvar vidas”, disse a deputada autora do requerimento ao governador. “A isenção do ICMS, que barateia em torno de 18% os custos do medicamento, facilitará a compra, possível para as famílias que não podem arcar com esses custos apenas por meio de uma ampla campanha de arrecadação e de solidariedade”, completou Luciana.

A AME tem incidência estimada em um a cada 10 mil nascidos vivos, com diferentes graus de gravidade. “A desoneração do medicamento trará esperança às famílias dos portadores de AME e, devido à baixa incidência da doença, essa medida não provocará impacto significativo aos cofres públicos”, informa Luciana no documento enviado ao governador Ratinho Júnior.

Corrida contra o tempo

Para Marcos Roberto Maciel, pai do bebê Valentim Santi Maciel, de Marmeleiro, a desoneração vai significar um ganho substancial na luta pela vida dos portadores de AME. Ele lembra que a União já zerou o imposto federal sobre a importação do medicamento Zolgensma, o que representa uma redução de 4% no preço. Com a isenção do ICMS, o barateamento será de mais 18%. “Esperamos que o governo do estado também se sensibilize com a nossa situação e zere o ICMS”, disse o pai de Valentim. “É uma única aplicação desse remédio que precisa ser feita antes dos dois anos de idade. O Valentim vai completar nove meses. Estamos realmente correndo contra o tempo”, disse.

Assim que a deputada Luciana fez pronunciamento na sessão plenária sobre o caso do Valetim, vários deputados manifestaram interesse em ajudar na divulgação da campanha em favor da vida do menino.